Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Veja o que diz a regra do futebol sobre o posicionamento do goleiro na cobrança de pênalti

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 24/05/2021 às 16:55
VAR viu Mailson adiantado na cobrança de pênalti. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
VAR viu Mailson adiantado na cobrança de pênalti. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Nem a final do Campeonato Pernambucano escapou de uma polêmica envolvendo a arbitragem. Náutico e Sport ficaram no empate em 1x1, no tempo normal, e a decisão do título foi para os pênaltis. Na quarta cobrança do Timbu, Giovanny bateu e Mailson defendeu, mas o árbitro de vídeo (VAR) apontou que o goleiro do Leão se adiantou, mandando voltar a cobrança. Segundo a regra 14 do futebol, "quando a bola for tocada, o goleiro deve ter ao menos uma parte de um dos seus pés tocando ou alinhada verticalmente com a linha do gol".

LEIA MAIS 

>> Ouça a narração da decisão nos pênaltis que garantiu o título do Pernambucano de 2021 ao Náutico

>> Preparador de goleiros do Sport diz que não cuspiu no árbitro após final do Pernambucano

>> Árbitro relata que foi cuspido pelo preparador de goleiros do Sport após final do Pernambucano

Giovanny era o quarto cobrador do Náutico e deu um chute sem força na bola, mirando o centro do gol. Mailson não caiu para nenhum dos lados, apenas pulou e agarrou. O VAR observou justamente que, antes que Giovanny tocasse na bola, o goleiro do Sport já estava com os dois pés fora da linha, quebrando a regra 14. Por isso, acionou o árbitro Rafael Toski e o avisou sobre a irregularidade da penalidade. Na segunda cobrança, Giovanny marcou o gol.

Dirigentes, jogadores e torcedores do Sport alegam ter visto diferente da arbitragem, enquanto do lado alvirrubro, naturalmente, concordam com o registro do VAR.

Confira a regra 14 do futebol, sobre o Tiro Penal (Pênalti):

Tiro Penal (Pênalti)

Um tiro penal será marcado se um jogador cometer uma infração punível com tiro livre direto dentro de sua própria área penal ou mesmo fora do campo de jogo, em razão de uma saída de campo como parte do jogo, como é indicado nas regras 12 e 13.

Um gol pode ser marcado diretamente de um pênalti.

1. Procedimento

A bola deve estar imóvel na marca penal, assim como os postes, o travessão e a rede da meta não podem estar em movimento.

O executante do pênalti deve ser claramente identificado.

O goleiro deve permanecer sobre a linha de meta, de frente para o executante e entre os postes da meta, porém sem tocar neles, no travessão ou na rede, até a bola ser tocada.

Todos os jogadores, exceto o executante e o goleiro, devem encontrar-se:

• pelo menos a 9,15 m da marca penal;

• atrás da marca penal;

• dentro do campo de jogo;

• fora da área penal.

Após todos os jogadores ocuparem suas posições, de acordo com esta regra, o árbitro dará o sinal para que o pênalti seja executado. O executante do pênalti deve tocar a bola para frente; toques de calcanhar são permitidos desde que a bola se mova para frente.

Quando a bola for tocada, o goleiro deve ter ao menos uma parte de um dos seus pés tocando ou alinhada verticalmente com a linha do gol.

A bola entrará em jogo logo que seja tocada e se mova claramente.

O executante não pode tocar na bola uma segunda vez antes que outro jogador a toque.

O tiro penal só estará concluído quando a bola parar de se mover, sair de jogo ou quando o árbitro interromper o jogo por qualquer infração às regras.

O árbitro pode conceder tempo adicional para permitir que um tiro penal seja executado e concluído no final de cada período do jogo ou da prorrogação. Após um tempo adicional ser concedido, o tiro penal será concluído quando, após ser tocada, a bola parar de se mover, sair de jogo, for jogada por qualquer jogador (inclusive o cobrador) diferente do goleiro defensor, ou quando o árbitro parar o jogo por qualquer infração do cobrador ou de seus companheiros. Se um defensor (inclusive o goleiro) cometer uma infração e o pênalti for perdido/defendido, o

pênalti deve ser repetido.

2. Infrações e sanções

Uma vez que o árbitro dê a autorização, o tiro penal deve ser executado. Se o tiro penal não for executado, o árbitro deve tomar a medida disciplinar adequada, antes de dar novo sinal para a cobrança.

Se, antes de a bola estar em jogo, uma das seguintes situações ocorrer:

• O jogador executante do penal ou um companheiro de equipe infringe as

Regras do Jogo:

• se a bola entrar na meta, o pênalti será repetido;

• se a bola não entrar na meta, o árbitro interromperá o jogo e o reiniciará com um tiro livre indireto.

Exceto nas situações seguintes, quando o jogo dever ser interrompido e reiniciado com tiro livre indireto, independentemente de ser ou não marcado um gol:

• se o pênalti for cobrado para trás;

• se um companheiro do jogador identificado cobrar o tiro penal; o árbitro adverte com cartão amarelo o jogador que executou o tiro;

• se o jogador executante, já depois de ter concluído a corrida, fizer finta ilegal ao executar o pênalti (fintas são permitidas durante a corrida); o árbitro deve advertir o executante com Cartão Amarelo-CA.

• O goleiro ou um companheiro de equipe fere as Regras do Jogo:

• se a bola entrar na meta, o gol deve ser validado;

• se a bola não entrar na meta, o pênalti deve ser repetido; o goleiro deve ser advertido com cartão amarelo, se for o culpado da infração. (Nota - CACBF: Sobre este ponto veja a circular 17/2019 da IFAB, nas págs. 154,155 e 156).

• Se jogadores de ambas as equipes infringirem as regras do jogo, o pênalti deve ser repetido, a menos que um jogador cometa uma infração mais grave (ex: uma finta proibida).

• Se o goleiro e o cobrador cometerem infração ao mesmo tempo:

• se o pênalti for perdido/defendido deve ser repetido e ambos os jogadores punidos com cartão amarelo;

• se o gol for marcado, deve ser anulado, o cobrador punido com cartão amarelo e o jogo deve ser reiniciado com tiro livre indireto a favor do time que se defende.

Se, depois de executado o tiro penal:

• o executante tocar na bola uma segunda vez antes que esta tenha sido tocada por outro jogador:

• um tiro livre indireto deve ser marcado (ou tiro livre direto se o toque for de mão deliberada).

• Se a bola for tocada por um agente externo enquanto estiver se movendo para frente:

• o tiro penal deve ser repetido, salvo se a bola estiver entrando na meta e a interferência não impedir o goleiro ou um defensor de jogar a bola, pois, neste caso, o gol deve ser marcado se a bola entrar no gol (ainda que haja contato do agente externo com a bola), salvo se o agente externo for da equipe atacante ou se a bola entrar na outra meta;

• Se a bola, depois de tocar no goleiro, nos postes ou no travessão da meta

continuar no campo de jogo e tocar em um agente externo:

• o árbitro interromperá o jogo;

• o jogo será reiniciado com bola ao chão, no local onde tocou no agente

externo.

Últimas notícias