Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol do Brasil e do mundo, basquete, NFL e todos os esportes
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, futebol nacional e internacional. Basquete, NFL, Fórmula 1 e todos os esportes Com análise, interatividade e opinião

Veja os 7 feitos da 'temporada perfeita' do Náutico até aqui em 2021

LOURENÇO GADÊLHA
LOURENÇO GADÊLHA
Publicado em 24/05/2021 às 13:04
Campeão pernambucano, Náutico vai disputar a Série B. Sport a Série A e o Santa a Série C Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Campeão pernambucano, Náutico vai disputar a Série B. Sport a Série A e o Santa a Série C Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O título do Campeonato Pernambucano, conquistado pelo Náutico nesse domingo (23) em cima do Sport, fez o clube atingir todas as metas previstas no planejamento alvirrubro para este início de temporada. Com um calendário mais enxuto sem participar da Copa do Nordeste e Copa do Brasil, o Timbu dedicou todos os seus esforços para triunfar no Estadual, onde quebrou tabus e, consequentemente, também garantiu um 2022 com mais jogos e renda proveniente das cotas de participação das duas competições.

Para ilustrar esse início positivo que foi coroado com o título, o Jornal do Commercio elencou sete feitos do Náutico na temporada perfeita até aqui em 2021. Confira:

COPA DO BRASIL

Quando iniciou o Campeonato Pernambucano, no final de fevereiro, o técnico Hélio dos Anjos tinha um primeiro objetivo em mente: fazer o Náutico voltar a ter um calendário mais cheio no primeiro semestre de 2022. E a primeira meta atingida foi justamente a presença na Copa do Brasil no próximo ano. O Timbu conquistou a vaga na competição nacional sendo o líder absoluto da primeira fase do Estadual, onde conquistou sete vitórias, um empate e uma derrota, somando 22 dos 27 pontos em disputa, e um aproveitamento de 81,5%.

COPA DO NORDESTE

Após o retorno à Copa do Brasil, o Náutico garantiu também a participação na Copa do Nordeste em 2022 ao ter se classificado para jogar a final do Estadual contra o Sport. O estado de Pernambuco só tem direito a duas vagas para o próximo Nordestão. Uma delas é definida pelo ranking de clubes e já estava reservada ao Sport, justamente pelo rubro-negro ser o time local mais bem posicionado na lista da CBF. A segunda vaga, portanto, fica para o campeão estadual desta temporada, mas ela já tinha sido assegurada pelo Timbu antes mesmo da bola rolar, pelo fato do rival desta final já ter a presença garantida. Com o título, o clube alvirrubro apenas ratificou o retorno que já estava certo.

TÍTULO

Com a volta para as duas competições, faltava ao Náutico a conquista do título, que aconteceu nesse domingo (23) ao bater o Sport na final, onde levantou o 23º troféu do Campeonato Pernambucano. Apesar de ter sido superior nos dois jogos, a final foi decidida apenas nos pênaltis após dois empate em 1x1 no tempo normal. E teve polêmica nas cobranças quando o árbitro Rodolpho Toski, com o auxílio do VAR, mandou repetir a cobrança de Giovanny defendida por Mailson, já que goleiro tinha se adiantado no lance. Na repetição, o atacante converteu. Em seguida, Marquinhos isolou a penalidade e o artilheiro Kieza garantiu o título para o clube alvirrubro, com vitória nos pênaltis por 5x3.

ARTILHARIA

Para coroar ainda mais a conquista, o Náutico terminou a competição com Kieza sendo o artilheiro do Campeonato Pernambucano com 10 gols marcados. O atacante assumiu a artilharia logo na primeira rodada, quando marcou quatro dos cinco gols na vitória contra o Central. Depois disso, ainda somou mais seis gols contra Sete de Setembro, Salgueiro, Retrô, além de marcar duas vezes contra o Santa Cruz na semifinal e o gol alvirrubro na final desse domingo contra o Sport. Na competição inteira, o Náutico marcou 28 gols e o K9 foi o responsável por mais de 30% deles.

TABU CONTRA O SPORT

O triunfo nesse domingo representou também à queda de um tabu que durava 53 anos sem vencer o Sport numa decisão de campeonato. A última vez tinha sido em 1968, quando o Náutico sagrou-se hexacampeão do Pernambucano. Desde então, o clube alvirrubro vinha sofrendo com sucessivas derrotas para o Leão em finais e jogos de mata-mata. No entanto, essa escrita foi quebrada com a conquista do título Estadual.

CONQUISTA NOS AFLITOS

Além de quebrar o tabu contra o Sport, o Náutico também voltou a comemorar um título em seu próprio estádio, os Aflitos. Tal fato não acontecia desde 1974, quando o Timbu bateu o Santa Cruz por 1×0 e conquistou o Campeonato Pernambucano. Na ocasião, ainda evitou que o rival fosse hexacampeão, feito que apenas o clube alvirrubro tem até hoje, pois ganhou os Pernambucanos de 1963 até 1968. O último título do Alvirrubro nos Aflitos, inclusive, criou o bordão ‘hexa é luxo’.

INVENCIBILIDADE

Por fim, o Náutico também deu continuidade a sequência invicta jogando nos Aflitos. O Timbu não sabe o que é perder nos seus domínios a 17 jogos, contando com o resultado desse domingo diante do Sport. A última vez que o clube alvirrubro foi derrotado em seu próprio estádio foi no dia 12 de outubro, quando perdeu por 2x0 para a Ponte Preta. Na época, o time ainda era comandado pelo técnico Gilson Kleina. Por sinal, o técnico Hélio dos Anjos ainda não perdeu nos Aflitos desde que chegou ao Náutico em novembro de 2020. Foram 15 jogos no estádio, com dez vitórias e cinco empates.

Últimas notícias