Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Tite pode ser o primeiro técnico bicampeão da Copa América com o Brasil

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 13/06/2021 às 7:03
Tite conquistou a Copa América de 2019 com o Brasil. Foto: AFP
Tite conquistou a Copa América de 2019 com o Brasil. Foto: AFP
Leitura:

O técnico Tite pode ser o primeiro técnico da seleção brasileira bicampeão da Copa América. Neste domingo, contra a Venezuela, no Mané Garrincha, em Brasília, o Brasil começa a participação na maior competição do continente como grande favorito ao título. Atual campeão do torneio, que terá uma super transmissão do SBT/TV Jornal e Rádio Jornal, a equipe verde e amarela possui 100% de aproveitamento nas seis rodadas das Eliminatórias da Copa de 2022.

>> Confira as datas e horários dos jogos do Brasil na Copa América no SBT/TV Jornal

Apesar de ser a maior campeã do mundo com cinco títulos, na Copa América, a Canarinho ocupa atualmente o terceiro lugar no ranking. Com nove troféus, o Brasil está atrás de Uruguai e Argentina com 15 e 14, respectivamente. Além de Tite, em 2019, faturaram a competição comandando a seleção: Flávio Costa (1949), Lazaroni (1989), Zagallo (1997), Vanderlei Luxemburgo (1999), Carlos Alberto Parreira (2004) e Dunga (2007). Em 1919 e 1922, a seleção era comandada por uma comissão, formada por: Arnaldo da Silveira, Amílcar Barbuy, Mário Pollo, Affonso de Castro e Ferreita Neto.

Nenhuma descrição disponível.

A história da seleção brasileira com o torneio começou no ano de 1919. Essa foi a primeira competição continental sediada no país e que despertou o sentimento de orgulho nacional marcado pelo lendário Arthur Friedenreich, o herói do título e primeiro nome na história do Brasil. Na época, a Copa América era para ter sido disputada no ano anterior, mas a epidemia da gripe espanhola atrasou a realização. Infelizmente, 112 anos depois, o mundo vive um problema ainda pior com a pandemia da covid-19.

LEIA MAIS

> Com protesto contra assédio, seleção feminina bate Rússia em amistoso

> Chile mistura jogadores consagrados com jovens promessas para voltar a brilhar na Copa América

> TV Jornal/SBT e Rádio Jornal trazem toda a emoção da Copa América para os pernambucanos

> O ano em que Pernambuco foi o Brasil na Copa América

> Argentina confirma Messi, Agüero e Armani para a Copa América

> Suárez e Cavani encabeçam lista de convocados do Uruguai para a Copa América

Mas, o divisor de águas do Brasil na história da Copa América foi o título de 1989 após o jejum de 40 anos. Com Romário e Bebeto, a seleção bateu o Uruguai em pleno Maracanã com gol de Romário em um passe de Mazinho. Posteriormente, a pentacampeã mundial não ficou tanto na seca. No ano de 1997, uma célebre frase ficou marcada na história do futebol brasileiro. Após bater a Bolívia na decisão, o maior campeão do país, Zagallo, não perdeu a oportunidade. "Vocês vão ter que me engolir", disse.

Dois anos depois, o Brasil protagonizou dois grandes embates contra os principais rivais na América do Sul. Nas quartas de final, bateu a Argentina por 2x1, com gols de Rivaldo e Ronaldo Fenômeno. Ainda teve um pênalti defendido por Dida do zagueiro Ayala. Na final, Rivaldo (2x) e Ronaldo, na época, ainda Ronaldinho, construíram a vitória por 3x0 em cima do Uruguai.

Já nos anos de 2004 e 2007 a Copa América foi decidida em dois jogaços entre Brasil e Argentina. Por sinal, duas partidas marcantes na história da seleção brasileira. Em 2004, brilhou a estrela de Adriano Imperador. No fim da partida, já no abafa em busca do empate, estava perdendo por 2x1, a bola foi levantada dentro da grande área, o ex-centroavante, como um "tanque", dominou e finalizou sem chance para Abbondanzieri. Nos pênaltis, os brasileiros levaram a melhor.

Na temporada 2007, a partida foi muito mais fácil. Com um show de Júlio Baptista e Daniel Alves, o Brasil venceu por 3x0. Com o técnico Dunga realizando uma reformulação na seleção brasileira, após o fracasso na Copa do Mundo de 2006 diante da França, na Alemanha, o ataque era formado pela dupla Vágner Love e Robinho, além do modesto meio-campo com Mineiro, Josué e Elano completando o setor com Baptista.

OUTROS TÉCNICOS

No duelo entre os comandantes na Copa América, Tite irá enfrentar adversários com uma história no futebol sul-americano. O principal é o "Maestro" Óscar Tábarez, mais uma vez, dirigindo a seleção do Uruguai. Na Argentina, o técnico é o jovem e ex-atleta Scaloni. Ainda tem Reinaldo Rueda (Colômbia), Ricardo Gareca (Peru), Martín Lasarte (Chile), Gustavo Julio Alfaro (Equador), José Peseiro (Venezuela), César Farías (Bolívia) e Eduardo Berizzo (Paraguai).

Últimas notícias