20
ago

[Opinião] Por resultados, atletas amadores apostam em substâncias proibidas

20 / ago
Publicado por Gabriela Máxima às 11:37

Tornou-se comum atletas amadores apostarem no consumo de substâncias proibidas para conquistar melhores resultados no esporte. A situação é polêmica e merece um espaço para ser discutida. Afinal, informações dão conta que o doping entre amadores é bastante superior em relação ao profissional. Além de não haver controle de uma entidade esportiva, o acesso é muito fácil. O negócio é escondido e ao mesmo tempo é escancarado, porque, quando você descobre, muitas pessoas usam, já usaram ou apresentaram interesse em fazer o teste.

SUPERAÇÃO: criando o hábito de se superar com o crossfit

Circuito Cãorrida e Cãominhada aporta no Recife em setembro

Comprar um remédio que promete deixar o atleta mais forte, veloz e resistente é uma tentação em tempo de ostentação nas redes sociais. E aí surgem fatores psicológicos que influenciam nos caminhos que os atletas escolhem. A competição velada, a superação de resultados e a vaidade em seu mais alto nível. O ciclo é vicioso: o atleta consome a substância, os treinos fluem, recordes pessoais são batidos e ele se torna uma referência.

O que nem todo mundo para pensar é que, embora atividade esportiva esteja em alta, o competidor amador optou por esse estilo de vida para se divertir. No final das contas, aquele momento de treino ou prova é para ser encarado como entretenimento. É legal ter ambições e querer se superar. Buscar a melhor versão e atingir objetivos. Esse é também um dos princípios do esporte. O alerta do doping é importante não só por conta da competição e vaidade, mas, principalmente, pelo cuidado com a saúde. Tomar doses extras de hormônios não é recomendado para pessoas saudáveis. As consequências podem ser trágicas de forma imediata ou a longo prazo.


Veja também