26
jul

Treinar ou não com gripes e resfriados? Eis a questão

26 / jul
Publicado por Luana Ponsoni às 8:35

Gripes, resfriados e viroses costumam assolar com as oscilações climáticas.

O período de chuvas parece ter chegado para ficar, alternado com dias um pouco mais quentes. Essas oscilações de temperatura e condições climáticas costumam ser as principais responsáveis pelo desencadeamento de gripes, resfriados e viroses. E aí surge a questão sobre se é recomendado manter a rotina de treinos quando se está com um desses quadros.

Para muitos, acaba valendo aquela máxima, de que o mal-estar vai acabar saindo com o exercício. Mas não é bem assim. Tudo depende do tipo de vírus com o qual se foi infectado e dos sintomas presentes no organismo. Em linhas gerais, os exercícios podem ser mantidos no caso dos resfriados, caracterizados por espirros, congestão nasal e dor de cabeça. Mas com algumas adaptações.

 

O professor de musculação Antônio Vasconcelos afirmou que a rotina de treinos pode ser mantida de acordo com os sintomas apresentados. Ainda assim, com algumas adequações. Foto: Santé Club/Divulgação

 

Com estas manifestações (os resfriados), se pode praticar exercícios de intensidade leve a moderada, pelo tempo limite de 30 minutos por dia”

Antônio Vasconcelos, professor de musculação da Santé Club.

 

As gripes e viroses, por outro lado, manifestam-se com sintomas mais severos, como congestão no peito, tosse, dores musculares e digestivas, febre e fadiga, e exigem uma atenção especial. “O recomendado é manter o repouso, para que o corpo se recupere mais rapidamente e de forma completa, sem risco de recaídas. Forçar o organismo nesses casos pode abrir brechas para doenças mais graves, como a miocardite, síndrome de fadiga pós-viral e pneumonia. O retorno às atividades físicas deve ser gradual, e com qualquer sinal de mal-estar o exercício deve ser interrompido”, alertou o profissional de Educação Física.

Antônio Vasconcelos chamou atenção ainda para a importância da prática regular de exercícios físicos no fortalecimento da imunidade. Condição em que a vulnerabilidade para gripes, resfriados e outras doenças diminui consideravelmente. E em qualquer época do ano.

 

 


Veja também