Juros

Caixa anuncia redução nos juros do cartão de crédito por causa do coronavírus

O cheque especial e o financiamento imobiliário também tiveram alterações; confira a lista completa

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 26/03/2020 às 22:06
Notícia
Foto: Arquivo/Agência Brasil
As medidas foram anunciadas nesta quinta - FOTO: Foto: Arquivo/Agência Brasil
Leitura:

Para ajudar a combater os efeitos do novo coronavírus na economia, a Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (26) uma série de medidas. Além das novas reduções nas Taxas de juros do cartão de crédito e do cheque especial, foi anunciado um apoio às micro e pequenas empresas, um reforço de R$ 33 bilhões na economia, totalizando R$ 111 bilhões em recursos, aumento no prazo do pagamento financiamento a Estados e municípios e a operacionalização da suspensão do recolhimento do FGTS.

No cheque especial para pessoa física e para clientes com salário na Caixa, as taxas que são de 4,95% a.m. (ao mês) cairão para 2,90% (redução de 41,4%). O parcelamento de fatura do cartão de crédito que tem uma média de 7,7% passará a ser a partir de 2,90% (redução de 62,3%). As condições especiais do cheque especial e cartão de crédito serão válidas por 90 dias a partir de 01/04/2020.

Taxas de Juros

A Caixa diminuiu as taxas de juros do cheque especial para Pessoa Física (PF), parcelamento de fatura do cartão de crédito, capital de giro e outros métodos. 

Os empréstimos Caixa Hospitais passam de 0,96% para 0,80% (redução de 16,7%); no CDC, de 2,29% para a partir de 2,17% (queda de 5,2%); e, no penhor, de 2,10% para 1,99% (redução de 5,2%). Já no Crédito Rural, as taxas reduzidas são a partir de 3,9% para Pessoas Físicas e a partir de 3,7% para Pessoas Jurídicas. No caso do capital de giro, a taxa máxima era de 2,76% ao mês e passa a ser de no máximo 1,51% ao mês. Para estas linhas, as condições já estão em vigor.

Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Para às Micro e Pequenas Empresas, será fornecida uma linha de capital de giro para manutenção da folha de pagamento das empresas, parcerias para ampliação das linhas de crédito (cadeia produtiva, fornecedores etc), antecipação de recebíveis de cartões com taxas reduzidas e uma parceria entre o SEBRAE e Caixa para apoio às MPEs

Dinheiro na economia

O banco público também vai disponibilizar R$ 33 bilhões para reforçar a liquidez da economia, totalizando um incremento extra de R$ 111 bilhões em decorrência dos impactos do coronavírus. Semana passada foi anunciado R$ 78 bilhões. Os novos recursos serão disponibilizados para capital de giro, compra de carteiras, crédito para Santas Casas, além do crédito agrícola.

Aumento da pausa no pagamento para até 90 dias

A elevação na no tempo de pausa dos pagamentos é válido para as Operações de Crédito para Pessoa Física, Pessoa Jurídica, Caixa Hospitais e Crédito Habitacional. Para solicitar a pausa os clientes devem acessar o site www.caixa.gov.br/caixacomvoce e selecionar a opção desejada. O banco registrou, até o dia 26 de março, mais de 722 mil pedidos de pausa do crédito imobiliário.

Financiamento para Estados e Municípios

A Caixa aumentou ainda o volume de empréstimos para os Estados e Municípios, como o Financiamento à Infraestrutura e Saneamento Ambiental (FINISA) e os financiamentos com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A entidade financeira informou que limite foi aberto no dia 02 de março e, em 15 dias, foram contratados R$ 3,35 bilhões (246 operações com 195 tomadores). Ainda estão em estudo 324 operações de financiamento, um total de R$ 5,16 bilhões.

FGTS

Também foi suspenso o recolhimento do FGTS durante os meses de março, abril e maio de 2020. A medida atende à MP 927/20. Segundo a Caixa, a previsão é que deixem de ser recolhidos até R$ 25,5 bilhões nesse primeiro momento. Parcelamento dos meses não recolhidos poderá seer efetuado em até 6 vezes. será acrescentado ao pacote de medidas a prorrogação da validade do Certificado de Regularidade do FGTS por 90 dias

A Caixa orienta que os empregadores que quiserem suspender o recolhimento do FGTS sem a cobrança de multa e encargos, devem declarar as informações dos trabalhadores via SEFIP.

Comentários

Últimas notícias