Golpes

Bancos alertam para tentativas de golpe na quarentena

Quadrilhas estão se aproveitando do aumento das transações digitais para aplicar golpes e roubar dados de clientes

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 20/04/2020 às 19:49
Notícia
Marcos Santos/ USP IMAGENS
Bancos pedem cuidado na hora das compras - FOTO: Marcos Santos/ USP IMAGENS
Leitura:

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e as instituições financeiras têm reforçado, desde que começou a quarentena, em decorrência do novo coronavírus (covid-19), a importância do uso dos canais digitais para evitar as aglomerações nas agências. Do internet banking e nos aplicativos dos bancos, é possível realizar quase todas as operações e ter acesso a diversos produtos e serviços.

Golpistas estão aproveitando desta época de maior tráfego para roubar dados, senhas e informações pessoais dos usuários. O golpe do falso motoboy é um exemplo da atividade das quadrilhas. Nele, criminosos entram em contato com as vítimas se fazendo passar pelo banco para comunicar a realização de transações suspeitas com o cartão de crédito do cliente. Após usar técnicas para obter informações sigilosas, os golpistas informam que um motoboy será enviado para recolher o cartão supostamente clonado para que sejam feitas outras análises necessárias para o cancelamento das compras.

Para passar uma imagem de segurança, os criminosos orientam a vítima a cortar o cartão ao meio, no sentido do comprimento, para inutilizar a tarja magnética, antes de entregá-lo ao motoboy. No entanto, o chip permanece intacto, o que permite que a quadrilha faça compras com o cartão.

O diretor-adjunto de Operações da Febraban, Walter de Faria, alerta que "os bancos nunca enviam funcionários para recolher os cartões dos clientes". "Quando o cliente for descartar um cartão, é importante inutilizar o chip para impedir que novas compras sejam feitas", completa.

Outro exemplo de golpe que surgiu durante a pandemia causada pelo novo coronavírus são os de aplicativos do auxílio emergencial falsos. Os golpistas se aproveitam da necessidade de as pessoas se cadastrarem para receber o benefício, para roubar a informações sigilosas.

"A mistura de medo da doença e a confusão trazida pelo excesso de fontes de informação criam o ambiente perfeito para a ação dos golpistas", diz Faria.

Ele reforça a importância de manter uma postura vigilante para evitar cair em um desses golpes. "Desconsiderar qualquer informação que não esteja nos canais oficiais dos governos e empresas é um bom caminho. Em caso de dúvida sobre a veracidade de uma mensagem ou conteúdo, interrompa a operação e entre em contato com o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) do prestador do serviço ou vendedor do produto para confirmar se aquilo é real."

Confira algumas orientações

• o banco não liga nem encaminha links por SMS, WhatsApp ou e-mail pedindo atualização dos dados, sincronização de token ou desbloqueio de cartão;

• o site oficial para se cadastrar para receber o auxílio emergencial é este aqui;

• o cadastramento para receber o auxílio emergencial também pode ser realizado pelo app especifico da Caixa, que deve ser baixado apenas na loja oficial de aplicativos do sistema operacional do seu dispositivo;

• não clique em nenhum link. Digite, no navegador, o endereço eletrônico do banco ou da loja em que pretende realizar a transação ou compra;

• sempre baixar qualquer aplicativo apenas da loja oficial do sistema operacional do seu dispositivo;

• não repasse seus dados para nenhuma pessoa intermediar a concessão do auxílio emergencial. Apenas a Caixa avalia e confirma quem é elegível ao benefício e eles não procuram as pessoas ou usam serviços de terceiros;

• o banco não entra em contato para pedir cadastro de favorecido, transferências, transações para testes ou estorno de valores nem desbloqueio de cartão

• o banco não entra em contato para dizer que sua conta será bloqueada por falta de atualização cadastral

• também não envia ninguém em sua casa para retirar seu cartão, notebook, computador, tablet, celular ou o chip dele

• como também não entra em contato para pedir atualização ou sincronismo de token

• fique atento a links encurtados e desconhecidos por sms ou e-mail. Não clique nem informe seus dados

Home office

• mantenha antivírus e sistema operacional de seu computador sempre atualizados;

• evite plugar pendrives desconhecidos em seu computador, eles podem conter vírus;

• cuidado ao clicar em links enviados por e-mail;

• se estiver utilizando um computador pessoal que é compartilhado com a família, crie um usuário específico para as atividades do trabalho;

• configure senhas fortes em seu wifi residencial (evite senhas óbvias);

• altere a senha padrão do seu roteador;

• em caso de suspeita de qualquer comprometimento da segurança, altere suas senhas imediatamente;

• não utilize redes públicas

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias