Pandemia

Com recorde de 26.417 novos casos de coronavírus em 24 horas, Brasil se aproxima de 27 mil mortes

Pelo terceiro dia seguido, o País registrou mais de 1 mil mortes. Casos confirmados passam de 438.238

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 28/05/2020 às 20:31
Notícia
PIXABAY
Casos de coronavírus registraram novo crescimento - FOTO: PIXABAY
Leitura:

O Ministério da Saúde atualizou na noite desta quinta-feira (28) os dados de infectados e mortos pelo novo coronavírus (covid-19) no Brasil. Segundo a pasta, nas últimas 24 horas, um novo recorde foi detectado, um total de 26.417 novos diagnósticos da covid-19 foram confirmados laboratorialmente. O número de novos óbitos teve elevação de 1.156 falecimentos. No total, o País soma, desde o início da pandemia, 438.238 casos e 26.754 vidas perdidas.

Esse é o terceiro dia seguido que o Brasil registra, em um período de um dia, mais de 1 mil mortes. O país foi por cinco dias consecutivos, o líder mundial de óbitos. Teve a triste colocação tirada pelos Estados Unidos, que contabilizou 1.294 mortes nesta quinta. O último recorde de casos no Brasil tinha ocorrido na última sexta-feira (22), com 20.803 diagnósticos. No dia 21 de maio foi registrado o último recorde de falecimentos, com um total de 1.188 mortes em 24 horas.

>> Pernambuco ultrapassa 30 mil casos de coronavírus e 2,5 mil mortes 

A região mais afetada pela doença continua sendo o Sudeste, seguida do Nordeste, Norte, Sul e Centro-Oeste. São Paulo foi o Estado que mais registrou casos (95.865) e mortes (6.980). O Rio de Janeiro (44.886 casos e 4.856 mortes) e o Ceará (37.821 casos e 2.733 mortes) completam a lista dos três primeiros. Pernambuco é o sexto Estado mais afetado.

Segundo o MS, 177.604 (40,5%) pessoas já estão recuperadas e 233.880 (53,4%) seguem em acompanhamento. Ainda segundo a pasta, 4.211 óbitos estão sendo investigados por suspeita de terem ocorrido por conta da covid-19.

Dos 1.156 óbitos confirmados, 539 ocorreram nos últimos três dias. O MS esclarece que as mortes contabilizadas em um dia, não necessariamente ocorreram em 24 horas, já que o tempo médio de detecção pode variar em até duas semanas.

Pico de mortes

O ex-secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, afirmou durante chat on line com especialistas e jornalistas, realizado nesta quinta-feira, que o pico de mortes por coronavírus no Brasil deve acontecer no mês de julho. Citando dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), Oliveira argumentou que chegou a essa conclusão por conta da forte influência da sazonalidade das doenças respiratórias nos países do hemisfério Sul.

“A onda de óbitos deve ocorrer após a segunda quinzena de julho”, afirmou. “Nesta data, 28 de maio, estamos na semana epidemiológica 22. Ou seja, ainda estamos vivenciando a fase inicial de maior circulação”, disse Oliveira. O especialista destacou ainda que “é tempo de ficar em casa e usar máscaras. Vamos ficar de olho nas próximas 6 semana. Elas vão nos dar a real dimensão do impacto das medidas”, alertou.

Coronavírus em Pernambuco

De acordo com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) nesta quinta-feira, foram confirmados mais 794 casos de pessoas infectadas e 98 mortas pela covid-19 nas últimas 24 horas. Agora, Pernambuco contabiliza 30.713 casos e 2.566 óbitos em virtude da doença. Dos novos casos, 268 se enquadram como síndrome respiratória aguda grave (srag) e outros 526 casos são leves. Já com relação ao número total de casos, 13.354 são graves e 17.359 leves.

Assine a nova newsletter do JC e fique bem informado sobre o coronavírus

Todos os dias, de domingo a domingo, sempre às 20h, o Jornal do Commercio divulga uma nova newsletter diretamente para o seu email sobre os assuntos mais atualizados do coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo. E como faço para receber? É simples. Os interessados podem assinar esta e outras newsletters através do link jc.com.br/newsletter ou no box localizado no final das matérias.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

 

Assine a nova newsletter do JC e fique bem informado sobre o coronavírus

Todos os dias, de domingo a domingo, sempre às 20h, o Jornal do Commercio divulga uma nova newsletter diretamente para o seu email sobre os assuntos mais atualizados do coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo. E como faço para receber? É simples. Os interessados podem assinar esta e outras newsletters através do link jc.com.br/newsletter ou no box localizado no final das matérias.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias