Crime

Novo golpe no WhatsApp promete 'frigobar da Coca-Cola'; veja como se proteger

Ao ser enganada, a vítima tem suas informações pessoais capturadas por cibercriminosos, além disso, seu celular, computador ou tablet é 'sequestrado' e liberado apenas após pagar resgate em moeda virtual

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 06/07/2020 às 8:48
Notícia
Divulgação
Golpe que promete um frigobar da coca-cola - FOTO: Divulgação
Leitura:

Com informações da Polícia Federal.

Um novo golpe está rodando na web. Desta vez, a grande promessa é um frigobar da popular marca de bebidas, Coca-Cola. O link que introduz o golpe tem domínio registrado na Rússia e está sendo amplamente divulgado através do WhatsApp. De acordo com a Polícia Federal, não é a primeira vez que cibercriminosas utilizam a imagem da Coca-Cola para enganar pessoas na internet, outras vezes, até emprego já foi prometido. 

>>Saiba como não cair em golpe que clona cartão do Bolsa Família para saque do auxílio emergencial

>>Veja como se proteger de golpe do Dia dos Namorados que promete brindes de marca famosa

>>Mensagem que promete cadastro ao "auxílio gás" é falsa; veja como se proteger

Como acontece?

O golpe se inicia a partir do momento em que a vítima recebe uma mensagem em seu WhatsApp avisando que, para ganhar um frigobar da coca-cola, bastaria responder três perguntas. 

Reprodução
Golpe que promete um frigobar da coca-cola - Reprodução

Assim que o usuário responde as questões, uma nova mensagem aparece, com um novo 'desafio'. Desta vez, a vítima é instruída a compartilhar o link malicioso com pessoas da sua lista telefônica até que uma barra de quantidade, localizada na parte inferior da tela, fique completa. A promessa é que, após o preenchimento da barra, o usuário recebe o frigobar dentro de quatro dias.

Reprodução
Golpe que promete um frigobar da coca-cola - Reprodução

Mas na realidade, assim que a barra de preenchimento for finalizada, automaticamente o dispositivo eletrônico da vítima, utilizado para cumprir o procedimento, será infectado por vírus cibernéticos. Informações pessoais como fotos, vídeos, mensagens e senhas são capturadas pelos criminosos, além disso, o celular, computador ou tablet do usuário pode ser bloqueado. Para liberar o aparelho, os golpistas solicitam que a vítima pague um 'resgate' em bitcoin, moeda virtual difícil de ser rastreada. 

Como se proteger? 

Confira as precauções que devem ser tomadas pelo usuário para que não seja enganado por falsas promoções e premiações da web:

1 - Desconfie sempre antes de clicar nos links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais, prefira sempre apagar.

2 - Não compartilhe links duvidosos com seus contatos sem antes saber se são autênticos – você pode estar sendo usado por bandidos para espalhar o golpe e prejudicar outras pessoas, inclusive seus parentes.

3 - Cuidado com o imediatismo de mensagens tais como: último dia, promoção vai até hoje! Urgente, não perca essa oportunidade, quase sempre tais conteúdos querem fazer com que as pessoas não pesquisem a veracidade da promoção na página da empresa ou órgãos oficiais.

4 - Certifique-se no site oficial da empresa sobre o está sendo oferecido, principalmente quando se tratar de supostas promoções, ofertas de dinheiro, brindes, descontos ou até promessas de emprego. Nesse caso, não existe essa promoção no site da empresa que já esclareceu e alertou que são falsas as informações do link acerca da distribuição gratuita de um frigobar

5 - Nunca preencha nenhum cadastro, formulário ou pesquisa fornecendo seus dados financeiros ou pessoais através de links enviados pelo WhatsApp, tais como: senha de bancos, cartão de crédito, conta corrente, benefícios, dentre outros.

6 - Ao entrar em qualquer página verifique se existe um cadeado cinza no canto superior esquerdo da página – isso atesta que sua conexão não foi interceptada e que o site está criptografado para impedir golpes.

7 - Links que levem direito ao cadastro tem que haver o HTTPS onde o “S” corresponde a uma camada extra de segurança;

8 - Não marque nenhum agendamento para que pessoas compareçam em sua residência sob o pretexto de fazer uma consulta presencial, bandidos podem se aproveitar dessa situação para se passar agentes de saúde e realizar assaltos.

9 - Nunca baixe programas piratas para o celular ou computador, tais sites costumam ter a maior concentração de vírus;

10 - Instale um bom antivírus em seu celular ou computador e tenha o sistema operacional do seu celular e computador atualizados.

Já caí no golpe, e agora?

Caso você tenha sido enganado pelo golpe em questão, é necessário procurar, imediatamente, um profissional de informática de confiança para analisar a situação e adotar medidas de segurança. Além disso, é de extrema importância o registro de um boletim de ocorrência policia. Vale ressaltar ainda que, ao cair num golpe do tipo, seus dados pessoais correm risco. 

Em conversa com a reportagem do JC, a assessoria de comunicação da Polícia Federal informou que apesar de ter divulgado uma nota em alerta à população sobre este tipo de golpe, a investigação do mesmo segue sendo feita pela Polícia Civil. "Quem tiver sido lesado financeiramente deve procurar imediatamente uma delegacia mais próxima de sua residência para prestar um boletim de ocorrência policial, a fim de que tais criminosos possam ser identificados e presos", informou a PF.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias