pandemia

Pesquisa aponta que 2,5% dos idosos do Brasil foram infectados pela covid-19

Com base nos dados do Dieese, a médica geriatra Carla Núbia Borges elaborou, então, um panorama sobre o perfil das pessoas dessa faixa etária no País

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 25/02/2021 às 6:07
Notícia

KENZO TRIBOUILLARD/AFP
Letalidade do novo coronavírus, nos idosos, em Pernambuco, é muito superior à média da população geral no Estado que adoece e evolui de forma grave por covid-19 - FOTO: KENZO TRIBOUILLARD/AFP
Leitura:

Uma recente pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) indica que 2,5% dos 37,7 milhões de idosos do Brasil já foram infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, há aproximadamente um ano.

Com base nos dados da entidade, a médica geriatra Carla Núbia Borges elaborou, então, um panorama sobre o perfil das pessoas dessa faixa etária no País.

Segundo a médica, a porcentagem pode refletir a proteção dada pelas famílias, já que foi maior o apelo para manter esse grupo em isolamento social. Além disso, a falta de testagem em massa deve ter contribuído para esse número. "Como não houve testagem em massa, os idosos foram menos testados. As pessoas que normalmente fazem o teste são as sintomáticas ou que apresentam um quadro clínico da doença", afirmou.

É válido lembrar que, nesta quarta-feira (24), completou-se um ano desde que o primeiro caso de covid-19 foi identificado no Brasil. O paciente era um idoso de 61 anos, morador de São Paulo, que havia viajado para a Itália. 

O panorama feito pela médica também fala sobre a importância da vacinação, melhor meio para se combater a doença. "Cada vacina tem suas peculiaridades. Protege contra as formas graves reduzindo evolução com complicações, internamentos e óbito. É fundamental que idosos sejam vacinados", diz trecho do texto.

Além da imunização, a geriatra também atenta para a continuidade das medidas de proteção para impedir a contaminação pela covid-19. "É um vírus de superfície, que pode estar no computador, na maçaneta da porta e outros objetos. Diante disso, é fundamental exercer o distanciamento social, mesmo depois do idoso ter tomado as duas doses da vacina", explicou.

Pernambuco

Com 1,5 milhão de pessoas com 60 anos ou mais, Pernambuco tem o total de 1,5% de idosos que tiveram diagnóstico de covid-19 confirmado, de acordo com o Dieese. Uma pessoas infectadas foi a socióloga Célia Trindade, de 69 anos. Moradora do Espinheiro, na Zona Norte do Recife, ela testou positivo no final do ano passado. "Eu percebi que estava sintomas de gripe e, como há uma onda da doença, resolvi fazer o teste, que deu resultado positivo para covid-19", relatou.

A socióloga desenvolveu apenas os sintomas leves da covid-19 e não sofreu nenhuma complicação em seu quadro de saúde. Ela continua seguindo as orientações sanitárias essenciais para diminuir o risco de contaminação, como uso de máscara de proteção, distanciamento social e álcool em gel.

"Só saio de casa quando realmente é necessário, para trabalhar e ir ao supermercado, por exemplo. Continuo tomando os cuidados necessários e estou na expectativa da vacina, já que ainda não chegou a minha vez", contou. 

A pesquisa do Dieese mostra que, assim como Célia, 13,2% dos idosos em Pernambuco ainda trabalham. Já 87% moram com outras pessoas e 25% com estudantes. Dessa população, 77% contribuem com 50% ou mais da renda do domicílio e 36% receberam o auxílio emergencial, programa criado para diminuir os impactos da pandemia.

A pesquisa também afirma que 21% dos idosos possuem plano de saúde e 56% possui algum tipo de comorbidade, que é considerado um fator de risco diante da covid-19.

Comentários

Últimas notícias