PANDEMIA

Ministério da Saúde inclui grávidas e puérperas como prioridades para vacinação contra covid-19

A pasta levou em conta os riscos que tais mulheres e seus bebês correm em meio à pandemia. As cerca de 3 milhões de gestantes e puérperas que existem anualmente no País serão imunizadas na próxima fase da campanha de vacinação

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 27/04/2021 às 12:52
Foto: LOIC VENANCE / AFP
A vacinação durante a gravidez protege o feto através da transmissão, de mãe para filho, de altas concentrações de anticorpos. - FOTO: Foto: LOIC VENANCE / AFP
Leitura:

Uma nota técnica divulgada nessa segunda-feira (26) pelo Ministério da Saúde inclui as grávidas e puérperas — quem deu à luz há pouco tempo — entre os grupos prioritários de vacinação contra a covid-19. A pasta levou em conta os riscos que tais mulheres e seus bebês correm em meio à pandemia. Segundo o texto, a decisão foi tomada com base em discussões na Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis e Câmara Técnica Assessora em ações integradas a Assistência à Gestante e Puérpera no contexto do coronavírus.

O texto pontua que, embora a segurança e eficácia das vacinas covid-19 não tenham sido avaliadas neste grupo, "as vacinas de plataformas de vírus inativado já são utilizadas por esse grupo de mulheres no Calendário Nacional de Vacinação". Além disso, traz que a maioria das evidências sobre recomendações nacionais e internacionais de vacinação com imunizantes de gestantes, puérperas e lactantes, defende a vacinação das mulheres nessas condições, se pertencentes a algum grupo prioritário.

"O Programa Nacional de Imunizações, diante das avaliações do risco vs benefício da situação epidemiológica do País do sobrerrisco aumentado para hospitalização dessa população, subsidiado pelas discussões na Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis e Câmara Técnica Assessora em ações integradas a Assistência à Gestante e Puérpera no contexto do coronavírus (covid-19), decidiu por recomendar a vacinação contra a covid-19 de todas as gestantes e puérperas e incluí-las nos grupos prioritários para vacinação", explicou.

Até hoje, foram distribuídas 100% das doses destinadas aos trabalhadores de saúde, pessoas com 60 anos ou mais e pessoas com deficiência institucionalizadas, indígenas vivendo em terras indígenas, povos e comunidades tradicionais Ribeirinhas e Quilombolas e idosos de 65 anos ou mais. Da atual fase, resta apenas a imunização completa de pessoas de 60 a 64 e das forças de segurança e salvamento e Forças armadas em linha de frente.

Sendo assim, as cerca de 3 milhões de gestantes e puérperas que existem anualmente no País serão imunizadas na próxima fase da campanha de vacinação, que compreende pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente. Os dois grupos somam mais de 25 milhões de pessoas. 

I - Lista de prioridade I:

  • Pessoas com Síndrome de Down, independentemente da idade;
  • Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise) independentemente da idade;
  • Gestantes e puérperas com comorbidades, independentemente da idade;
  • Pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos
  • Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de
  • Prestação Continuada (BPC) de 55 a 59 anos

II - Na fase II, o Ministério da Saúde pede para que sejam vacinados proporcionalmente, de acordo com o quantitativo de doses, segundo as faixas de idade de 50 a 54 anos, 45 a 49 anos, 40 a 44 anos, 30 a 39 anos e 18 a 29 anos:

  • Pessoas com comorbidades;
  • Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no BPC;
  • Gestantes e puérperas independentemente de condições pré-existentes;

Confira a íntegra da nota técnica

Comentários

Últimas notícias