doação

Posso doar sangue após tomar vacina contra a covid-19? Veja critérios, prazo e dicas

Tempo de inaptidão deve ser respeitado pelos candidatos à doação de sangue

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 28/07/2021 às 8:17
Notícia
HUGO DOURADO/SES-PE
A situação dos estoques tem se agravado desde o início da pandemia com a queda de doações. - FOTO: HUGO DOURADO/SES-PE
Leitura:

Com um número crescente de pessoas vacinadas contra a covid-19 em todo o País, surge a dúvida de quanto tempo após a imunização, seja primeira ou segunda dose, é possível doar sangue. Segundo Nota Técnica expedida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), órgão vinculado ao Ministério da Saúde (MS), as inaptidões para os vacinados contra o novo coronavírus são temporárias e devem ser respeitadas pelos candidatos à doação de sangue, com o intuito de resguardar a integridade física dos doadores e receptores. 

No caso do candidato à doação de sangue ter tomado a vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês SinoVac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, deve ser respeitado um intervalo de 48 horas após cada dose, ou seja, dois dias.

Se o voluntário tomou a vacina AstraZeneca, desenvolvida na Universidade Oxford, no Reino Unido, e produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o ato de doar sangue só pode ser realizado após o sétimo dia de recebida a primeira dose.

Se a vacina for da Pfizer, produzida pela farmacêutica norte-americana em parceria com a empresa alemã BioNTech, o candidato só poderá realizar a doação após o sétimo dia de recebida a primeira dose. O mesmo critério vale para o imunizante da Janssen, produzido pela Johnson & Johnson.

Contaminados pelo vírus só podem doar sangue após 30 dias do fim da infecção.

Imunizante Tempo necessário
CoronaVac 48 horas
AstraZeneca 7 dias
Pfizer 7 dias
Janssen 7 dias

Critérios para ser doador

Podem ser doadoras de sangue pessoas que possuem entre 18 e 69 anos (ou até 60 anos, se esta for a primeira doação). Menores de idade não estão aptos a doarem, no momento, devido à pandemia, já que precisariam da presença de um dos responsáveis no local de doação.

Outro pré-requisito é pesar no mínimo 50 quilos e estar em bom estado de saúde. Serão impossibilitadas de doar pessoas que tiverem contraído gripe, resfriado ou covid-19 nos últimos 30 dias. Em casos onde o doador já tenha sido vacinado contra a covid-19, é preciso respeitar o intervalo para a doação.

As autoridades de saúde também recomendam que o doador esteja descansado para a coleta - ter dormido pelo menos 6h nas 24h anteriores. Também é importante não ter ingerido bebida alcoólica nas 12h anteriores à doação, não fumar nas três horas que antecedem e após a doação e não estar em jejum. No dia da doação, é importante apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação.

Vacinação no Brasil

O Brasil subiu uma posição e está em 65º lugar no ranking global de aplicação de doses da vacina contra covid-19. De acordo com dados do consórcio dos veículos de imprensa, atualizados às 20h dessa terça-feira (27), mais de 18% da população brasileira está totalmente imunizada contra a doença. No total, 38.704.270 pessoas, 18,28% da população, já receberam a segunda dose da vacina ou o imunizante em dose única. A primeira dose foi aplicada em 97.325.965 pessoas, o equivalente a 45,96% da população.

Comentários

Últimas notícias