Cirurgia inédita

Onça-parda foi submetida à cirurgia inédita de catarata em Minas Gerais

Apelidada pelos profissionais do Cetras de Kiara, a onça-parda tem 11 meses e pesa 31kg

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 10/11/2021 às 23:11
Notícia
IEF E UNIUBE/DIVULGAÇÃO
A onça precisou do procedimento após sofrer um trauma na cabeça - FOTO: IEF E UNIUBE/DIVULGAÇÃO
Leitura:

O Instituto Estadual de Florestas (IEF), em parceria com o Hospital Veterinário da Universidade de Uberaba (Uniube), realizou a primeira cirurgia de catarata em uma onça-parda feita no Brasil. Apelidado pelos profissionais do Cetras de Kiara, o animal tem 11 meses e pesa 31kg.

Segundo informações da Agência Minas, a fêmea, recebida no Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres (Cetras) em Patos de Minas, precisou do procedimento após sofrer um trauma na cabeça, ocorrido em 2020, o que ocasionou uma lesão ocular. A operação foi realizada no fim de outubro.

IEF e Uniube / Divulgação
IEF e Uniube realizaram a primeira cirurgia de catarata em onça-parda feita no Brasil - IEF e Uniube / Divulgação
IEF e Uniube / Divulgação
IEF e Uniube realizaram a primeira cirurgia de catarata em onça-parda feita no Brasil - IEF e Uniube / Divulgação
IEF e Uniube / Divulgação
IEF e Uniube realizaram a primeira cirurgia de catarata em onça-parda feita no Brasil - IEF e Uniube / Divulgação
IEF e Uniube / Divulgação
IEF e Uniube realizaram a primeira cirurgia de catarata em onça-parda feita no Brasil - IEF e Uniube / Divulgação

Kiara foi operada por oftalmologistas veterinários, sob supervisão de professores de oftalmologia veterinária da Uniube, além de um médico veterinário do Cetras. Antes da cirurgia, que durou 1h30, o animal passou por exames complementares como eletroretinograma, tonometria e ultrassonografia ocular, a fim de garantir a capacidade de visão do animal.

A onça-parda ficou sob cuidados no Cetras, onde passa por exames laboratoriais, recebe alimentação à base de proteína animal e toda medicação adequada ao tratamento, além de atividades de estímulo de comportamento natural da espécie.

“Ainda não havia relatos sobre esse procedimento na espécie. Foi um grande desafio para todos, mas a parceria funcionou perfeitamente e as expectativas para a recuperação são muito positivas”, comentou o médico veterinário do Cetras Patos de Minas, Rafael Ferraz de Barros.

A Onça-parda chegou ao com um quadro neurológico de convulsões, ataxia, entre outros sintomas compatíveis de um quadro de trauma. Desde três meses de idade apresentou sequela decorrente de traumas na cabeça, um quadro progressivo de catarata bilateral, ou seja, nas duas vistas, que é basicamente uma opacificação da lente do olho, que inviabilizou sua visão.

O prazo de recuperação da cirurgia é estimado em três meses, mas Kiara pode permanecer até um ano sendo acompanhada em cativeiro. Ela segue recuperação no Cetras. Após uma primeira avaliação ocular, foi constatado que a cirurgia foi bem-sucedida e a onça-parda não precisará operar o outro olho.

Em entrevista à Folha de SP, o responsável pela cirurgia, o médico-veterinário Glauber Tasso relatou que inicialmente seriam operados os dois olhos do animal de uma vez, mas o quadro clínico não permitiu. "O procedimento teve que ser feito apenas no olho esquerdo. Foi detectada luxação posterior do cristalino no olho direito, o que inviabilizava o procedimento cirúrgico para esse olho. O olho esquerdo apresentava subluxação anterior e microfaquia, o que tornou o procedimento extremamente desafiador", disse.

Comentários

Últimas notícias