TEMPO

Ciclone na Bahia? Entenda o fenômeno que deixou sul do estado em situação de calamidade

Um temporal no extremo sul da Bahia tem afetado a vida de diversas famílias em pelo menos 28 cidades

Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Publicado em 10/12/2021 às 17:47
PREFEITURA DA JUCURUÇU
Enchente na cidade de Jucuruçu - FOTO: PREFEITURA DA JUCURUÇU
Leitura:

Um temporal no extremo sul da Bahia tem afetado a vida de diversas famílias em pelo menos 28 cidades no estado. Os municípios que decretaram situação de emergência devido às fortes chuvas, desde o final de novembro, sofrem com mortes, pessoas desabrigadas e prejuízo financeiro, que podem ser explicados pela junção de dois fenômenos meteorológicos.

De acordo com a especialista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Cláudia Valéria, o temporal é causado pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), uma faixa de nuvens que se estende desde o sul da região amazônica até a região central do Atlântico Sul. Esse é um fenômeno que atua todos os anos na região, durante a primavera/verão, e ocasiona um período chuvoso no Oeste, Sudoeste e Sul da Bahia.

Mas se a Zona de Convergência dura entre 3 e 4 dias, porque temos visto chuvas intensas desde o final de novembro? Este ano, tivemos a influência do La Niña. Esse é o nome dado ao resfriamento anômalo das temperaturas médias do Oceano Pacífico. Ele é capaz de provocar uma série de distúrbios em todo mundo, alterando a formação de chuvas, secas e distribuição de calor.

“As ZCAS é um fenômeno que atua todos os anos na região, período chuvoso de grande parte do estado. O diferencial é que, esse ano, estamos com influência do La Niña, então a junção acaba fazendo com que o período chuvoso dure mais tempo”, explica Valéria. Diariamente, a região sul do estado tem acumulado de 80mm a 100mm.

O período de maior intensidade de chuvas, entretanto, não deve durar por muito mais tempo. De acordo com as previsões, as chuvas devem perder a intensidade em todo o estado a partir de sábado (11), ainda que concentradas no Extremo Oeste.

Estado

As áreas mais afetadas pela chuva estão recebendo atenção especial do Governo do Estado. Nesta sexta (10), o governador Rui Costa se reuniu, em videoconferência, com prefeitos dos municípios do Sul e Extremo Sul baianos.

Entre os 21 prefeitos ouvidos estavam Jânio Natal, de Porto Seguro; Manrick Teixeira, de Vereda; Marcelo Belitardo, de Teixeira de Freitas; Adalberto Pinto, de Medeiros Neto; Arivaldo Costa, Jucuruçu e Marcelo Angênica, de Itamaraju. Na reunião, os participantes sinalizaram problemas como falta de abastecimento de energia elétrica e água, além de dificuldade de resgate de pessoas que se encontram ilhadas em suas residências.

O governador lembrou que os temporais atingem quase todo o estado da Bahia, mas a situação mais crítica é no Extremo Sul, principalmente em Jucuruçu e Itamaraju, no distrito de Nova Alegria. “Estas regiões estão, praticamente, embaixo d’água. A prioridade é tirar as pessoas de áreas de risco, mas, infelizmente, as condições do tempo estão limitando as ações aéreas”, explicou.

Aos moradores dos locais mais afetados, ele pediu que se abriguem em áreas mais altas e solicitem ajuda diante do alerta de mais chuvas e vazão de água nas áreas ribeirinhas: “Faço um apelo para que as pessoas que estão próximas de rios e riachos saiam das suas casas e vão para regiões mais altas. Esses rios e algumas barragens vão soltar mais água. Recebemos um alerta da Chesf, que opera a barragem de Pedras, em Jequié, afirmando que, até amanhã, vai soltar um volume grande de água. Faço este alerta para que as prefeituras e órgãos de defesa civil e assistência social retirem as pessoas dessas localidades o mais rápido possível”.

Uma força-tarefa está sendo realizada desde a última quarta-feira (8), envolvendo a Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA), o Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia (Graer) e a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), entre outros órgãos estaduais.

Aeronaves, barcos, botes e caminhonetes estão sendo utilizados para dar socorro aos moradores das comunidades alagadas. A distribuição de cestas básicas, cobertores, lonas e medicamentos é feita de acordo com o diagnóstico previamente feito pelo estado e municípios

A edição desta sexta-feira (10) do Diário Oficial do Estado ainda traz a publicação de um decreto de Situação de Emergência em 24 municípios afetados pelas fortes chuvas em diferentes regiões da Bahia. A medida determina que todos os órgãos estaduais devem se mobilizar, no âmbito de suas competências, para apoiar as ações de socorro às cidades. O decreto tem validade de 90 dias.

Municípios que decretaram Situação de Emergência desde o final de novembro:

1- Eunápolis
2- Itacaré
3 - Itarantim
4-Mundo Novo
5-Baixa Grande
6- Marcionilio de Souza
7- Anagé
8- Itapetinga
9- Iaçu
10- Itabela
11- Ibicuí
12- Jequiriçá
13- Itambé
14- Encruzilhada
15- Ribeira do Pombal
16- Itamaraju
17- Teixeira de Freitas
18- Medeiros Neto
19- Camacan
20- Canavieiras
21- Vereda
22- Guaratinga
23- Jucuruçu
24- Macarani
25- Cocos
26- Boa Vista do Tupim
27- Santanopolis
28- Mascote

Comentários

Últimas notícias