expectativa

Familiares esperam saída dos feras no primeiro dia de provas da UPE

Na entrada da Escola Politécnica de Pernambuco (Poli), familiares, amigos e namorados preferem torcer de perto

Arline Lins
Arline Lins
Publicado em 25/11/2012 às 11:32
Foto: Marília Banholzer/NE10
Na entrada da Escola Politécnica de Pernambuco (Poli), familiares, amigos e namorados preferem torcer de perto - FOTO: Foto: Marília Banholzer/NE10
Leitura:

A expectativa dos que esperam o término das provas também é grande do outro lado dos portões. Na entrada da Escola Politécnica de Pernambuco (Poli), no bairro da Madalena, familiares, amigos e namorados preferem torcer de perto e esperar a abertura dos portões para saber como foi o desempenho do estudante na prova. Este domingo (25), é o primeiro dia do Vestibular da Universidade de Pernambuco.

Para a musicista Isolda Rossini, mão do estudante Fabrício Rossino, de 28 anos, esperar os filhos enquanto fazem os exames do vestibular virou um hábito. "Pra mim é um dia diferente, fico na expectativa em casa e por isso prefiro vir com ele e esperar o término das provas de perto, rezando e torcendo por ele", conta. Fábrício tenta o ingresso no curso de medicina. Enquanto espera, Isolda atualiza sua agenda de custos da casa.

O costume deu sorte para os filhos de Isolda: um deles já é formado em odontologia e Fabrício, em fisioterapia.


O estudante Fernando Lêdo, de 22 anos, espera a namorada Maria Luana, 16. "Tentei na UFPE o curso de enfermagem e preferi não tentar uma vaga na UPE para dar força para Luana, já que é seu primeiro vestibular". Eles namoram há um ano e querem cursar enfermagem.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias