EDUCAÇÃO

Trinta e cinco equipes pernambucanas na final da Olimpíada de História

Ao todo, 105 alunos de sete escolas de Pernambuco estarão em São Paulo no próximo sábado para participar da final da competição

Margarida Azevedo Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 15/08/2018 às 7:13
Foto: Bobby Fabisak / JC Imagem
Ao todo, 105 alunos de sete escolas de Pernambuco estarão em São Paulo no próximo sábado para participar da final da competição - FOTO: Foto: Bobby Fabisak / JC Imagem
Leitura:

Cento e cinco adolescentes pernambucanos estarão, no próximo fim de semana, em Campinas, no interior de São Paulo, para competir na final da 10ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), promovida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Arrumam as malas hoje para viajar amanhã. Em dez edições do concurso, esta é a vez que Pernambuco estará representado com maior número de equipes, 35 no total. É o quarto Estado com mais concorrentes.

Ceará, Rio Grande do Norte e São Paulo lideram em participação, com 118, 46 e 44 grupos, respectivamente. A olimpíada começou em maio com 14,3 mil grupos. Para final vão 311. Os pernambucanos estudam em sete escolas de Recife (três públicas e quatro privadas).

Entre as públicas, a Escola de Aplicação do Recife, vinculada à Universidade de Pernambuco (UPE) e localizada na Madalena, terá maior delegação, 11 equipes. O Colégio Núcleo, que fica na Jaqueira, Zona Norte, concorrerá com mais grupos entre as unidades particulares, 13 no total. As demais equipes são dos seguintes Colégios: Aplicação da UFPE (4), Militar do Recife (2), Cognitivo (3), Ideia (1) e Equipe (1).

Cada time é formado por três alunos e um professor de história. A olimpíada é aberta para estudantes dos 8º e 9º anos do ensino fundamental e as três séries do ensino médio. Foram seis etapas online, com provas e tarefas que exigiram dos concorrentes muita pesquisa e debates.

“A gente passa a enxergar o mundo de outra forma. Amplia nossa visão. No início nem queria participar pois achava que iria atrapalhar minha preparação para o Enem. Agora reconheço que foi muito importante”, afirma Arthur Cavalcanti, 17 anos, aluno do 3º ano do Colégio Núcleo. A equipe dele, Suits, obteve o primeiro lugar, no Estado, nas eliminatórias.

“É um trabalho em equipe mesmo, de muito esforço. Estudamos assuntos que não são só do ensino médio. Cai muita atualidade. Temos que ler bastante, pesquisar”, diz Bruna Alves, 16, do 2º ano da Escola de Aplicação do Recife e membro da equipe Monalisa’s. Para bancar a viagem, os alunos venderam rifas (Sport, Náutico e Santa Cruz doaram camisas) e brigadeiros. Contaram ainda com ajuda do Governo do Estado, UPE e doações anônimas.

DEDICAÇÃO

Na delegação pernambucana merece destaque o professor Ivan Lima, 30. Ele é orientador de 26 das 35 equipes do Estado. É um dos maiores incentivadores da olimpíada de história, com sete edições na bagagem. “É uma grande alegria chegar à final com esse expressivo resultado. O que me motiva é o compromisso social como professor e a alegria de ver leituras virando ações nos meus alunos”, ressalta Ivan.

No sábado, todas as equipes realizarão um teste dissertativo e presencial. A premiação ocorre no domingo, quando serão distribuídas 15 medalhas de ouro, 25 de prata e 35 de bronze. Os demais grupos recebem medalhas de honra ao mérito.

Últimas notícias