EDUCAÇÃO

Alunos da Escola do Recife sem passagens para Olimpíada de História

Trinta estudantes estão na final da competição, que será sábado, em Campinas, interior de São Paulo

da editoria de Cidades
da editoria de Cidades
Publicado em 13/08/2019 às 7:35
Notícia
Foto: Divulgação
Trinta estudantes estão na final da competição, que será sábado, em Campinas, interior de São Paulo - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

A cinco dias da final da 11ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), que será sábado (17), em Campinas, São Paulo, 30 alunos da Escola de Aplicação do Recife, vinculada à Universidade de Pernambuco (UPE), não têm passagens para fazer a viagem de Recife até a cidade paulista.

Pernambuco é o quarto Estado com mais equipes finalistas na competição, 36. Dessas, 12 são da Escola do Recife. Ao todo, 314 grupos de todo o País foram convocadas. Ceará, Rio Grande do Norte e São Paulo são os primeiros colocados em número de equipes participantes, com 90, 74 e 37 grupos, respectivamente.

Segundo o professor de história Dayvson Freitas, um dos orientadores dos estudantes, havia a expectativa de que as passagens fossem custeadas pela Secretaria Estadual de Educação, como ocorreu em edições passadas.

“Enviamos um ofício pedindo as passagens no dia 3 de julho. Desde então estávamos em contato com a secretaria, que não dava resposta. Dizia apenas que aguardássemos. Hoje (ontem), faltando menos de uma semana para a final, ficamos sabendo que só vão pagar 15 passagens, ou seja, para cinco equipes”, lamenta Dayvson. “Agora estamos correndo atrás de doações e patrocínio.”

Das 12 equipes da Escola do Recife, duas vão custeadas pela própria olimpíada, organizada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), porque ficaram em 1º lugar no Estado (Polentinhas do Arrocha) e 1º lugar na Região Nordeste (ComunaCats).

Humberto Baudel, 15 anos, aluno do 1º ano do ensino médio, chorou ao saber que poderá não ir para Campinas. Ele integra a equipe Os Cabras da Peste, junto com os colegas Nickolas Macêdo e Luís Fernandes.

“Foi um esforço grande chegar até a final. Para pagar hospedagem e alimentação, vendemos rifas e fizemos um brexó”, conta Humberto. “Se o governo não daria todas as passagens, avisasse antes. Minha família, por exemplo, não tem condições de pagar R$ 2.400 de passagens”, afirma Humberto.

PORTARIA

A Secretaria de Educação de Pernambuco esclarece que custeia passagens para alunos convidados para apresentar trabalhos fora do Estado e até do Brasil. Mas que diante do aumento da participação de estudantes da rede estadual em eventos, instituiu uma portaria (nº 1202, de março de 2019), que estipula o máximo de cinco equipes beneficiadas com passagens por evento realizado no Brasil. O órgão informa ainda que atendeu a solicitação da Escola do Recife dentro do prazo.

Quem quiser ajudar pode entrar em contato com o professor Alberon Lemos pelo telefone (081) 99830-1778.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias