Chuvas

Governador tenta acelerar construção de novas barragens

Outra medida para conter impactos climáticos é a inauguração, nesta terça-feira (10), do Sistema de Previsão e Alerta Hidrometeorológico

Emídia Felipe
Emídia Felipe
Publicado em 09/05/2011 às 21:52
Leitura:

Na tentativa de minimizar e conter os estragos causados pelas chuvas no Estado, o governador Eduardo Campos enviou, nesta segunda-feira (9) à Assembleia Legislativa um Projeto de Lei (PL) que tenta encurtar os prazos para a construção das cinco novas barragens na Zona da Mata Sul do Estado. Além disso, o gestor vai inaugurar, nesta terça-feira (10), às 9h, o Sistema de Previsão e Alerta Hidrometeorológico, que acompanhará os dados em tempo real e deverá antecipar possíveis riscos de chuvas e enchentes.

LEIA MAIS - Nova barragem desalojará cerca de 230 famílias em Palmares

De acordo com o Governo, caso o projeto seja aprovado, as obras passam a ter um cronograma mais curto, podendo ser iniciadas na primeira quinzena de setembro. A lei prevê, por exemplo, a redução do prazo para realização de audiências públicas, que hoje é de 45 dias, para 15 dias, e exige que as questões ambientais, que atualmente só surgem durante as análises dos projetos executivos, sejam apresentadas na entrega dos projetos.

Veja mais informações sobre as barragens:

Infográfico

Barragens da Mata Sul

Barragem Panelas 2 será construída no Rio Panelas, afluente do Una, no trecho que corta o município de Cupira, e terá capacidade para acumular 17 milhões de m³, com custo estimado em R$ 35 milhões.

No município de Lagoa dos Gatos, no Riacho dos Gatos, um afluente do Rio Panelas, que deságua no Piranji, tributário do Una, será levantada a Barragem Gatos com investimento de R$ 15 milhões e capacidade de acumulação é de 6,3 milhões de m³.

Já a Barragem Serro Azul está orçada em R$ 480 milhões, poderá acumular 380 milhões de m³ de água e ficará no Rio Una, em Palmares.

Com capacidade de acumulação de 42,5 milhões de m³, será construída a Barragem Igarapeba, no Rio Piranji, afluente o Una, em São Benedito do Sul. O custo estimado é de R$ 46 milhões.

A Barragem de Barra de Guabiraba será no município de Barra de Guabiraba, custará  R$ 30 milhões e vai operar com capacidade para 16 milhões de m³.

A sala do Sistema de Previsão e Alerta Hidrometeorológico fará parte da Rede Nacional de Alerta da Agência Nacional de Águas (ANA) e vai funcionará na sede provisória da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), nas instalações da Compesa. A partir dela, o Estado pretende agilizar a capacidade de resposta às mudanças climáticas.

O novo sistema pode, por exemplo, simular enchentes e, analisando informações topográficas das cidades e volume de chuvas previsto, pode indicar áreas vulneráveis e permitir a retirada da população, em caso de necessidade. As informações do monitoramento hidrometeorológico, como os níveis das principais barragens e volume de chuvas, já podem ser acessadas pela população por meio do endereço eletrônico www.apac.pe.gov.br.

BALANÇO 1 – A secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos anunciou, nesta segunda (9), um diagnóstico da situação das principais barragens pernambucanas. A de Carpina, com duas comportas abertas desde a semana passada, deve terminar o dia com uma reserva de 100 milhões de metros cúbicos – o suficiente para evitar enchentes no Recife.

A Compesa autorizou a abertura da primeira comporta da Barragem do Goitá, em Glória do Goitá. Na terça (10), será aberta a segunda comporta, o que implica a liberação de 52metros cúbicos de água por segundo para o Rio Capibaribe.

BALANÇO 2 – A Defesa Civil estadual também divulgou os números atualizados do impacto da chuva em Pernambuco. Ao todo, 56 cidades foram atingidas. Destas, 26 estão em Situação de Emergência e outras nove decretaram Estado de Calamidade Pública. Em todo o Estado, 218 espaços estão recebendo as 5.137 famílias desabrigadas (quem perdeu tudo e precisa dos abrigos públicos). Outras 10.511 famílias estão desalojadas (quem pode contar com ajuda de vizinhos e familiares). Já foram distribuídos 4.810 colchões, 11.186 cestas básicas, 4.750 cestas de pronto consumo, 3.330 cobertores, 800 kits de limpeza e 124.400 litros de água mineral.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias