ASSISTÊNCIA

Apelo para manter vida e arte juntas

Moradores de Brasília Teimosa precisam de ajuda para não deixar morrer projeto que envolve jovens e crianças em aulas de dança, capoeira, grafitagem e informática

Aline Souza
Aline Souza
Publicado em 07/08/2011 às 12:18
Leitura:

No fim dos anos 50, quando a comunidade de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife, começava a surgir, uma pequena casa da região acolhia os filhos dos trabalhadores da área. Com o passar dos anos e a ajuda dos moradores, o espaço cresceu e se transformou na Associação de Ação Comunitária de Brasília Teimosa. Atualmente, cerca de 150 crianças e jovens frequentam o local e participam de oficinas de informática, dança e capoeira.

Até setembro do ano passado também era oferecido o curso de grafitagem, mas a turma foi suspensa por falta de recursos. Além disso, a associação precisa de ajuda para recuperar o teto do refeitório, danificado após as chuvas que atingiram a cidade nos últimos meses.

As atividades são mantidas através de parcerias e doações, mas a ajuda nem sempre chega de maneira contínua. "Quando recebemos apoio desenvolvemos projetos para melhorar a qualidade de vida das pessoas da comunidade e oferecer oportunidades de crescimento", disse o coordenador da associação, Reginaldo Carvalho. O principal objetivo, segundo ele, é criar um ambiente estável para crianças e jovens de 6 a 22 anos, onde eles possam brincar, aprender e ficar longe do mundo das drogas e da prostituição. Voluntários ministram as oficinas e profissionais - psicólogo, assistente social e advogados - prestam assistência às crianças e famílias.

» Leia a matéria completa no caderno Cidades do Jornal do Commercio deste domingo (7).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias