CIDADANIA

Dois viadutos do Recife ganham as cores da grafitagem

Jovens de bairros pobres do Recife participaram de oficinas de capacitação. Muitos deles deixaram de ser pichadores

Carlos Eduardo Santos
Carlos Eduardo Santos
Publicado em 01/11/2011 às 8:02
Foto: Rodrigo Lôbo
Jovens de bairros pobres do Recife participaram de oficinas de capacitação. Muitos deles deixaram de ser pichadores - FOTO: Foto: Rodrigo Lôbo
Leitura:

As estruturas de concreto dos viadutos da Avenida Norte, no bairro de Santo Amaro, e da Avenida João de Barros, no Espinheiro, na área central e na Zona Norte do Recife respectivamente, ganharam simbolismo em forma de grafitagem. Um grupo de jovens capacitado no Centro de Assistência e Proteção Social à Juventude grafitou as colunas de sustentação com temas ligados à proteção dos direitos humanos, segurança pública, direito à memória e à verdade, justiça e combate à desigualdade.

O coordenador do grupo, Francisco Bonny, responsável pelas oficinas de capacitação dos jovens, explicou que a intervenção no viaduto da Avenida Norte já foi concluída. "Terminamos há duas semanas. Já está tudo pronto. Utilizamos o tema ligado à época da ditadura."

Ele informou que 50 jovens de vários bairros pobres do Recife, grande parte deles de Santo Amaro, participaram das oficinas. "Deste total, escolhemos 12 deles para participar deste trabalho aqui." Todos os alunos ganharam uma ajuda de custo do governo do Estado.

"Antes de iniciar o processo de grafitagem, a gente trabalhou na pesquisa dos temas para definir o que iríamos grafitar. Colocamos, inicialmente, o desenho no papel. Depois, realizamos o trabalho." Na manhã de ontem, o grupo estava trabalhando no viaduto da Avenida João de Barros.

Questionado se temia a ação de pichadores, o grafiteiro Francisco Bonny disse que conhece muitos deles e que sempre procura o diálogo. "Acredito que as grafitagens desenvolvidas nos viadutos não vão sofrer com a ação dos pichadores. Claro que estamos sujeitos a isso, mas acredito no diálogo. O nosso objetivo é trazê-los para o nosso lado. Muitos que participam das oficinas e hoje são grafiteiros eram pichadores. A responsabilidade é nossa. Queremos que eles venham para o nosso grupo", declarou Bonny.

A ideia do Centro de Assistência e Proteção Social à Juventude é expandir o trabalho dos garotos para outros locais da cidade, inclusive para a Zona Sul. "A nossa ideia é que a grafitagem desenvolvida aqui chegue a outros locais da cidade. Isso é uma conquista grande que não é de agora. Hoje, pouco a pouco, as coisas vão melhorando."

Para Bonny, a cidade não ganha apenas um viaduto mais bonito. Ele ressalta a transformação que antecede todo o trabalho. "São jovens de várias áreas do Recife. E tenho percebido que, de um tempo para cá, já existe um mercado de trabalho para eles. A proposta tem que seguir desta maneira. Nosso trabalho está sendo bem aceito pela população."

Em breve, uma escola pública de Santo Amaro e um órgão público vão ganhar as cores dos grafiteiros formados no centro. "Ainda não podemos divulgar os locais, mas já está certo que vamos desenvolver este mesmo trabalho lá."

CAXANGÁ - O viaduto da BR-101 sobre a Avenida Caxangá, na Zona Oeste do Recife, foi um dos primeiros da cidade a ter a estrutura da base coberta pela grafitagem de um grupo de artistas que realizaram um mutirão, em 2008. Lá, pouco tempo depois da intervenção artística, vândalos chegaram a pichar o local.

Leia mais na edição desta terça-feira (1) do Jornal do Commercio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias