finados

Mais enterros em Santo Amaro

Às vésperas do dia de homenagens aos mortos, prefeitura anunciou que 348 novas gavetas serão inauguradas no próximo mês

Carlos Eduardo Santos
Carlos Eduardo Santos
Publicado em 01/11/2011 às 8:02
Leitura:

O Cemitério Senhor Bom Jesus da Redenção, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, está pronto para receber os visitantes nesta quarta-feira (2), Dia de Finados. Mas, além da pintura, poda de árvores e capinação de rotina para o feriado, a prefeitura aumentará a capacidade de sepultamentos no local com a inauguração, no próximo mês, de 348 gavetas. Somadas às atuais 9.800 em uso, o município disponibilizará ao público 10.148 gavetas para enterros.

"Ganhamos em espaço e no número de sepultamentos", diz Fernando Melo, diretor de Manutenção Urbana do Recife. O trecho do cemitério onde a prefeitura trabalha na nova ala, desde junho, era usado para sepultamentos no chão. Mas, o lençol freático fica quase no mesmo nível do terreno e impossibilitava enterros no período chuvoso, explica Fernando Melo. O problema deixa de existir com as gavetas. O Cemitério de Santo Amaro é o maior e mais procurado da cidade.

Como faz todos os anos, na última semana de outubro a prefeitura intensificou a limpeza dos cinco cemitérios públicos do Recife. Os mesmos serviços realizados em Santo Amaro, incluindo revisão na rede elétrica, foram executados em Casa Amarela, Várzea, Tejipió e no Parque das Flores, no Totó, bairro da Zona Oeste.

Desta vez, a prefeitura inovou na pintura da capela do Cemitério de Santo Amaro, construção em estilo gótico, com formato octogonal, bem no centro do terreno. A igreja é um projeto do famoso engenheiro José Mamede Alves Ferreira (1820-1865) e até então exibia nas paredes tons verde claro. "Arquitetos fizeram um estudo de cor no prédio e agora a igreja está cor de vinho", diz Fernando Melo. A capela foi inaugurada em 1855, quatro anos depois da necrópole.

Nesta segunda-feira (31), dia das almas, havia uma tímida movimentação no Cemitério de Santo Amaro, com pessoas organizando o túmulo de parentes para as homenagens. A professora aposentada Adelaide Cosme aproveitou a visita e acendeu velas para a irmã falecida, ato extensivo aos demais mortos do lugar. "Venho todo mês, há três anos, minha irmã gostava muito de limpeza, mantenho o túmulo dela sempre organizado", comenta.

Maria de Lurdes de Lira e Michele Ribeiro da Silva visitaram o túmulo da família e também prestaram reverências na catacumba da menina sem nome, criança que apareceu morta na Praia do Pina, 41 anos atrás. Funcionários da prefeitura davam os últimos retoques na pintura de covas e meio-fio.

No Dia de Finados, os portões estarão abertos às 6h e a estimativa do município é receber 60 mil pessoas nas cinco necrópoles. A arquidiocese de Olinda e Recife programou missas para cemitérios de nove cidades da região metropolitana e a prefeitura levará atrações culturais para Santo Amaro e o Parque das Flores, segundo mais visitado na capital, no Dia de Finados.

O grupo de choro Quinteto de Prata se apresenta às 8h em Santo Amaro e às 14h no Parque das Flores. O projeto musical Recife dos Chorões estará às 8h no Parque das Flores e às 15h em Santo Amaro. O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, celebra missa às 10h em Santo Amaro e às 16h no Parque das Flores.

Leia mais na edição desta terça-feira (1) do Jornal do Commercio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias