carnaval

Ceroula já arrasta multidão em Olinda

Tradicional agremiação realiza desfile pelas ladeiras do Sítio Histórico

Rafael Carvalheira
Rafael Carvalheira
Publicado em 07/01/2012 às 19:15
Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
FOTO: Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Leitura:

O primeiro dos seis ensaios que Ceroula de Olinda fará especialmente este ano, em razão do seu cinquentenário, encheu o Largo da Ribeira ao anoitecer deste sábado (7) e fez uma multidão descer e subir as ladeiras de Olinda.

Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Ceroula arrasta centenas de foliões no ensaio para o carnaval, em Olinda. - Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Ceroula arrasta centenas de foliões no ensaio para o carnaval, em Olinda. - Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Ceroula arrasta centenas de foliões no ensaio para o carnaval, em Olinda. - Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Ceroula arrasta centenas de foliões no ensaio para o carnaval, em Olinda. - Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Ceroula arrasta centenas de foliões no ensaio para o carnaval, em Olinda. - Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Ceroula arrasta centenas de foliões no ensaio para o carnaval, em Olinda. - Foto: Bernardo Soares/JC Imagem

 

Turista, morador do Sítio Histórico, da cidade baixa, da periferia, da praia e foliões de tudo que era canto surgiram tão logo os acordes, às 17h30, derão sinal de que a mais animada troça olidense, com fama de ter a melhor orquestra, faria a festa.

“É uma brincadeira que nasceu e continua séria, feita com delicadeza, organização e um astral muito bom”, justificou Antônio Aurélio Sales, popular Cabela, o fundador.

A fórmula do sucesso, conduzido hoje pelo filho Marcos Sales, 35 anos, nasceu quando brincantes de Pitombeira e Elefante, grupos tradicionais que se destacam pelas fantasias e orquestra, resolveram inventar uma disculpa para brincar mais um dia. No primeiro ano saíram com colete, gravata borboleta e bengala.

O traje, aliás, será retomado nessas bodas de ouro. Marcos Sales, no entanto, faz mistério sobre a cor da camisa, que muda todo Carnaval. As mulheres, que só saem a cada cinco anos, lá também estarão, comemorando as bodas de prata.

Quem perdeu a festa, com a Orquestra do maestro Oséas, tem mais cinco chances antes dos dias oficiais (sábado e terça-feira de Carnaval). Uma delas será próximo sábado (14), às 17h, na porta de Pitombeira.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias