transporte

Nova tarifa de ônibus será decidida nesta sexta-feira (20)

Conselho Superior de Transporte Metropolitano se reúne para analisar a proposta apresentada pelos empresários do setor, que pedem um aumento de 17,2%

Carlos Eduardo Santos
Carlos Eduardo Santos
Publicado em 19/01/2012 às 8:38
Leitura:

Os 19 membros do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), braço do Grande Recife Consórcio de Transporte responsável por decidir sobre o reajuste das tarifas das linhas que operam nos municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR), se reúnem nesta sexta-feira (20). O grupo vai analisar a proposta apresentada pelos empresários do setor, que pedem um aumento de 17,2%. O governo do Estado, porém, defende que o reajuste deve seguir o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que fechou em 6,5% no ano passado.

Para fundamentar um aumento de 17,2%, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) apresentou ao conselho uma planilha de custos do sistema, incluindo insumos, impostos e salários dos funcionários. Os empresários alegam que o segmento enfrenta uma inflação superior ao índice do IPCA.

“O Recife é a capital com passagem mais barata do Brasil e esse reajuste que estamos propondo está baseado em estudos técnicos do setor”, justificou o presidente da Urbana-PE, Fernando Bandeira, no dia em que fechou a proposta enviada ao Grande Recife.

O pleito das empresas de ônibus é quase três vezes maior do que a inflação oficial de 2011. E desde 2008, o reajuste aplicado na tarifa segue o IPCA. O governo não é majoritário no conselho, mas tem forte presença e influência sobre outros representantes, o que eleva a possibilidade de o percentual baseado no IPCA se sobrepor ao reajuste de 17,2% sugerido pelo sindicato patronal.

Das 19 cadeiras do CSTM, seis são ocupadas por pessoas com cargos de destaque na estrutura administrativa do Estado. São dois secretários (Cidades e Planejamento), o presidente e um diretor do Grande Recife, além dos presidentes do Departamento de Trânsito e da Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe). O presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa, também tem assento. O deputado estadual é conhecido, entre outras características, por seguir à risca a posição do governo.

As prefeituras e câmaras de vereadores do Recife e Olinda estão representadas em quatro cadeiras, ao todo. As demais são ocupadas por representantes da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), dos estudantes, dos usuários do sistema que pagam tarifa e os que têm gratuidade, além dos empresários.

Caso a proposta dos empresários seja aprovada, a tarifa A, utilizada por 80% dos cerca de dois milhões de usuários diariamente, sairia de R$ 2 para R$ 2,35. O anel B, atualmente em R$ 3,10, subiria para R$ 3,60. Já o anel D sairia de R$ 2,45 para R$ 2,85. Por último, o G deixaria de custar R$ 1,30 e passaria para R$ 1,55. O reajuste definido também será aplicado nas passagens de metrô.

Leia mais na edição desta quinta-feira (19) do Jornal do Commercio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias