urbanismo

Praça de Casa Forte pode ser adotada por escolas

Proposta será apresentada pela Associação de Moradores de Casa Forte às unidades de ensino

Carlos Eduardo Santos
Carlos Eduardo Santos
Publicado em 19/01/2012 às 10:56
Leitura:

Primeiro projeto público do paisagista Roberto Burle Marx no Recife, a Praça de Casa Forte, na Zona Norte, pode ser a primeira da capital a ser adotada por um grupo de empresas. Nesta quinta-feira (19), a Associação de Moradores de Casa Forte vai apresentar o projeto de adoção para representantes de quatro escolas do bairro.

A coordenadora do projeto Adote o Verde, da prefeitura, irá participar do encontro. De acordo com o presidente da associação, Carlos Tigre, a ideia é que representantes da prefeitura façam palestras de assuntos ambientais nas unidades de ensino.

“Pelo fato da praça ser muito grande, é difícil ser adotada. Por isso, mostramos a proposta para a prefeitura, que concordou, e vamos apresentar às escolas. A praça está precisando de mais cuidados e nessa parceria, todo mundo sai ganhando”, explicou.

No Adote o Verde, empresas podem adotar praças, parques e canteiros do Recife, ficando responsáveis pela manutenção. A Praça de Casa Forte já chegou a ser adotada por um ano, mas a empresa não renovou o contrato.
No projeto da associação, cada escola terá um pórtico com o nome da unidade. A reunião acontece às 17h, na casa Paroquial da Igreja de Casa Forte, localizada na praça.

Dos cerca de 400 espaços verdes do Recife, entre praças, parques, jardins, canteiros e refúgios, mais de 100 estão sob a administração de empresas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias