Maus-tratos aos animais

Polícia indicia três funcionários do CVA do Recife

Inquérito foi apresentado nesta terça-feira pela Delegacia de Meio Ambiente

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 14/02/2012 às 16:32
Leitura:

Atualizada às 20h45

Um mês após realizar operação no Centro de Vigilância Ambiental (CVA) do Recife, a Polícia Civil concluiu inquérito indiciando dois diretores e o médico veterinário do órgão. Em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (14), a titular da Delegacia de Meio Ambiente, delegada Nely Queiroz, apresentou o resultado das investigações e números de óbitos e sacrifícios ocorridos no CVA.

O fiscal sanitário Amaro Fábio de Albuquerque Souza, que responde pela diretoroa do centro, e o gerente do Programa de Saúde Ambiental e oficialmente diretor do CVA, Otoniel Freire Neto, foram indiciados por crime contra a administração ambiental. Caso sejam condenados, podem pegar de 1 a 3 anos de detenção mais multa.

Os dois mais o veterinário José Antônio da Silva Santos também foram indiciados por maus -aos animais, crime de menor potencial ofensivo.

De acordo com relatório da delegada Nely Queiroz, de acordo com documentação apreendida no centro, 4.334 animais foram sacrificados em 2010 e 2.494 em 2011. "Muitos desses sacrifícios apontavam como justificativa bicheira ou sarna. Isso vai de encontro com a lei, que estabelece que o animal deve estar com uma doença infecto-contagiosa para ser eutanasiado", explicou a delegada.

Últimas notícias