FISCALIZAÇÃO

Bafômetro na rota do forró

Às vésperas do São João, governo do Estado e PRF prometem reforçar blitzes da lei seca nas estradas que levam ao interior

Alexandre Morais
Alexandre Morais
Publicado em 19/06/2012 às 14:31
Leitura:

A autuação de nove pessoas no último fim de semana por dirigir alcoolizadas nas estradas federais que cortam Pernambuco, além da morte de seis motoqueiros no interior – com possibilidades de ter havido consumo de bebida alcoólica, são um alerta de que a mistura álcool e direção está se tornando cada vez mais perigosa. Além do risco de sofrer ou provocar um acidente, a possibilidade de ser parado em uma das blitzes está maior. A Operação Lei Seca, coordenada pelo governo do Estado, foi ampliada para o Agreste e Sertão e a ordem é intensificar as abordagens às vésperas do São João. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também prometeu reforçar o efetivo para o próximo fim de semana, quando ocorre a maioria das festas.

“Desde o dia 15 reforçamos a presença nas cidades do interior e aumentaremos o efetivo ainda mais. Estaremos com 56 profissionais atuando, sendo 44 de fiscalização e 12 de educação. É o mesmo efetivo que temos no Grande Recife. Montaremos pontos nas cidades de Caruaru e Gravatá (Agreste) e em Arcoverde (Sertão)”, explicou o coordenador-executivo da Operação Lei Seca, tenente-coronel André Cavalcanti. Além do reforço específico para o São João, os números da operação mostram que as blitzes estão mais presentes nas ruas.

De dezembro de 2011 – quando a lei seca passou a ser coordenada pela Secretaria Estadual de Saúde – até maio deste ano, já são mais de 127 mil testes de alcoolemia realizados em condutores de 126.584 veículos (a diferença é relativa a testes refeitos ou realizados em motoristas chamados para guiar carros de terceiros). Ou seja, na prática, o condutor parado numa blitz está sendo convidado a fazer o teste no etilômetro, mesmo que não tenha sintomas de embriaguez. “Temos feito isso para ampliar as ações da lei seca. Em três dias de blitzes em Caruaru, onde só estamos chegando agora, tivemos um percentual alto de condutores autuados. Dos 367 veículos abordados, 100 foram notificados (27% do total). No Grande Recife, esse percentual cai para 8% porque as pessoas estão mais conscientes”, afirmou.

O número de motoristas autuados, entretanto, é bem menor do que a quantidade de testes realizados e, a maioria, ainda é por recusa (quando o condutor se nega a fazer o teste e mesmo assim é multado). Dos 127.231 testes feitos, apenas 918 excederam o percentual de álcool tolerado. Os outros 3.611 motoristas multados foram por recusa. A estatística da PRF segue a mesma linha, embora a quantidade seja muito menor. De janeiro até anteontem, foram realizados 12.558 testes de alcoolemia nas estradas federais. Desses, 440 motoristas terminaram multados, sendo que 200 ainda foram encaminhados à delegacia para responder pelo crime de trânsito (quando, além da multa de R$ 957,70, também se paga fiança arbitrada pelo delegado para não ir preso). Apesar do anúncio de reforço, há 15 dias o JC percorreu as BRs 232 e 104, rota principal do forró, e não viu blitzes nas rodovias.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias