CONJUNTOS HABITACIONAIS

Velho sonho, novas moradias para famílias carentes

Esta quarta, serão entregues 33 residências. Em três anos e meio, 3.145 famílias foram beneficiadas

Lorena Tapavicsky
Lorena Tapavicsky
Publicado em 03/07/2012 às 23:13
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Esta quarta, serão entregues 33 residências. Em três anos e meio, 3.145 famílias foram beneficiadas - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Nos últimos três anos e meio, 3.145 famílias recifenses realizaram o sonho de trocar a palafita onde moravam por moradias dignas, com direito a saneamento básico e energia elétrica. A atual gestão já entregou 24 conjuntos habitacionais e, até o fim do ano, espera concluir as obras de outros 10 residenciais. Esta quarta (4), serão entregues as chaves de mais 33 unidades do Conjunto Mangueira da Torre, na Zona Oeste do Recife.

Trinta e seis famílias receberam as chaves dos apartamentos no Conjunto Mangueira da Torre. Os apartamentos estão divididos em quatro blocos e cinco casas isoladas. “A rua principal costumava ser um beco, onde só passava moto. Agora está mais larga e asfaltada. É muito bom acompanhar a transformação positiva do lugar onde a gente mora”, disse a servidora Ivete de Souza, que se mudou para o local há pouco mais de um ano e atua como síndica de um dos blocos.

As últimas residências entregues pela prefeitura foram as 59 unidades do Campo do Vila, no Espinheiro, Zona Norte do Recife. “Agora moramos em um lugar seco. Antes vivíamos no meio do esgoto, dentro d’água o tempo todo”, disse a aposentada Amara Silvina da Silva, que mora no novo residencial com a neta, desde a inauguração. No Campo do Vila a prefeitura também construiu creche, centro comunitário e trabalha para concluir a pavimentação de 14 ruas.

CARÊNCIA - De acordo com o secretário de Habitação do Recife, Abelardo Neves, o déficit de moradias na cidade é estimado em 70 mil residências. “Devemos terminar a gestão com cinco mil novas casas para a população de baixa renda, mas isso não resolve o problema. Esse é um trabalho que precisa ser levado adiante.”

Os habitacionais foram construídos com recursos de diversas secretarias municipais e através de convênios com os governos federal e estadual, que somam mais de R$ 155 milhões.

“Esse tipo de investimento influencia diretamente na melhoria da qualidade de vida da população. Muitas dessas pessoas que foram beneficiadas não possuíam um endereço fixo nem tinham acesso a coisas básicas, como luz elétrica, água encanada e esgotamento sanitário”, disse Neves.

Além dos 24 habitacionais entregues, a prefeitura pretende inaugurar mais 10 até o fim do ano, incluindo a segunda etapa do Conjunto Mangueira da Torre. Ao todo, 2.825 famílias poderão ser beneficiadas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias