fé e esperança

Dia de homenagear São José e esperar chuva para aliviar estragos da seca

Missas serão celebradas às 8h, às 12h, às 16h e às 19h30, na Matriz de São José, Centro do Recife

Betânia Santana
Betânia Santana
Publicado em 19/03/2013 às 6:22
Bobby Fabisak/JC Imagem
Missas serão celebradas às 8h, às 12h, às 16h e às 19h30, na Matriz de São José, Centro do Recife - FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Esta terça-feira é dia de render homenagens a São José, santo padroeiro das famílias, das igrejas e dos trabalhadores. Neste 19 de março, a Matriz de São José, no Centro do Recife, abre mão da simplicidade exigida em época de quaresma, para render homenagens ao homem que cuidou de Jesus Cristo como seu próprio filho. Aos devotos do protetor, que há muito pediam ao santo água para trabalhar, a boa notícia: hoje, a previsão é de pancadas de chuva no litoral e na Zona da Mata; chuva isolada no Agreste e há possibilidade de pancada de chuva no Sertão. Um pouco de alívio para quem só tem a fé como esperança.

Missas serão celebradas às 8h, às 12h, às 16h e às 19h30. “Hoje é permitido que se utilize roupa de festa, que se decore a igreja com flores, porque São José é o padroeiro das igrejas. Depois, voltamos ao período da Quaresma, que só acaba após a Semana Santa”, explicou o pároco da Igreja de São José há 42 anos, padre José Augusto.
O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, lembra a importância de José para a Igreja Católica. “Ele era um chefe de família, cuidou de Jesus, era um trabalhador. Merece as nossas homenagens.”

Para Dário Henrique Medeiros, 20 anos, o dia serve para renovar a fé que ele tem no santo. “Sou devoto desde que virei coordenador do grupo jovem da paróquia que frequento, em Rio Doce (Olinda). Tomei ele como exemplo de pastor. Tenho um grande apreço pelo que ele representa”, contou.

DOCUMENTO - Nesta quarta-feira, representantes de organizações da sociedade civil se mobilizam para enfrentar a pior estiagem dos últimos 40 anos em Pernambuco e apresentam o documento Diretrizes de Convivência com o Semiárido, trazendo sugestões para elaboração de políticas públicas efetivas para o combate à seca. O encontro será às 14h, na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), na Boa Vista, Centro do Recife. Dos 184 municípios pernambucanos, 132 enfrentam a falta de chuvas, afetando cerca de 1,3 milhão de pessoas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias