ação

Festa do Morro terá controle de poluição sonora

A ação contará com abordagens educativas nos primeiros 5 dias da festa. Nos outros 5, serão feitas notificações

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 29/11/2013 às 15:53
Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem
A ação contará com abordagens educativas nos primeiros 5 dias da festa. Nos outros 5, serão feitas notificações - FOTO: Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem
Leitura:

Uma operação de combate à poluição sonora foi montada para garantir o bem-estar dos moradores e dos participantes da Festa do Morro da Conceição, Zona Norte do Recife. A operação vai contar com cerca de 30 agentes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS) a partir deste sábado (30), até o dia 8 de dezembro. 

Os agentes vão fiscalizar palcos e estabelecimentos comerciais das vias que concentram polos de diversão, cultural, religioso e comerciais. O volume máximo permitido pelo Código Municipal de Meio Ambiente do Recife é de 70 decibéis (db) para pessoas jurídicas, como bares, casas noturnas, igrejas, obras, empresas e indústrias, das 6h às 18h. Após esse horário, o volume cai para 60 db. Em locais próximos a escola, creche, biblioteca pública, cemitério, hospital, ambulatório, casa de saúde ou similar, o volume permitido é de 55 db durante o dia e 45 db à noite.

Nos primeiros cinco dias da operação, os agentes farão abordagens educativas. Quem insistir no volume alto será notificado e responderá a processo administrativo na Prefeitura do Recife. "Se após a ação educativa alguém ainda colocar o volume inadequado, vamos notificá-lo. As punições vão desde advertência até multa de R$ 5 mil”, disse o gerente de Controle Ambiental da SMAS, Ismael Cassimiro.

A poluição sonora causa danos à saúde e à qualidade de vida. Problemas como perda de audição e dores de cabeça são os mais simples. Dificuldade para se concentrar, de dormir; perda de motivação; estresse; depressão; agressividade; aumento de pressão arterial; gastrite; úlcera e outros problemas mais graves também estão relacionados a poluição sonora. "Se todos respeitarem a lei, teremos uma festa mais bonita e sem comprometer o bem-estar das pessoas”, concluiu Cassimiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias