JOVENS

Parceria para eliminar a exploração infantil

Superintendência Regional do Trabalho e Emprego lançam projeto

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 18/12/2013 às 5:53
Leitura:

Quarenta jovens que trabalhavam ilegalmente em diversas atividades consideradas exploratórias estão sendo capacitados com a ajuda de 13 empresas parceiras do Projeto de Aprendizagem e de Combate ao Trabalho Infantil da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Pernambuco (SRTE/PE). Ontem, as empresas receberam um certificado pela parceria.

De acordo com o superintendente regional do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), André Luz Negromonte, 137 mil crianças e adolescentes são exploradas hoje no Estado, sendo 103 mil (75,18%) somente na Região Metropolitana do Recife (RMR). Ele considera a iniciativa um caminho de mudança da atual realidade. "Esse projeto permite dar oportunidade de forma legal o crescimento do jovem como cidadão, porque ele pode estudar e se qualificar para o mercado de trabalho de forma digna", ressaltou.

Hoje as empresas são obrigadas por força da legislação a contratar menores aprendizes. "Mesmo assim, nós recrutamos as instituições para sensibilizá-las sobre o atual quadro de crianças e adolescentes vulneráveis no Estado e incentivá-las a disponibilizarem vagas de capacitação para jovens nessa situação", disse a auditora fiscal Simone Brasil.

Um dos adolescentes é Adilson Gomes, 14 anos, que trabalhava cortando carne na feira de Camaragibe, na RMR, e hoje faz um curso na área administrativa em uma empresa do ramo alimentício. "Antes era muito pesado. Eu começava às 4h e não tinha hora para largar. Hoje eu tenho um curso bom", contou o garoto, que antes conseguia uma média de R$ 150 reais mensais e hoje recebe R$ 339, além de ter carteira de trabalho assinada, plano odontológico e seguro de vida.

Leia a matéria completa na edição desta quarta-feira (18) do Jornal do Commercio

Últimas notícias