Turismo

Píer da Praia de Guadalupe prestes a desabar

A estrutura, que deveria facilitar o turismo náutico no Litoral Sul, vai ser interditada por falta de condições de uso

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 06/12/2015 às 8:00
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
A estrutura, que deveria facilitar o turismo náutico no Litoral Sul, vai ser interditada por falta de condições de uso - FOTO: Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Leitura:

Chegar à Praia dos Carneiros, um dos paraísos do litoral de Pernambuco, está cada dia mais difícil. Pelo menos de barco. Isso porque o Píer de Mariassu, localizado na Praia de Guadalupe, município de Sirinhaém, um dos mais tradicionais pontos de partida de barcos e catamarãs da região, está quase sem condições de uso. A estrutura, feita de madeira e com aproximadamente 500 metros de extensão, encontra-se completamente degradada e sem manutenção. O perigo é percebido a olhos vistos e tem afastado os turistas. A situação é tão crítica que o governo de Pernambuco avisou, por nota, que em breve estará interditando o equipamento por falta de segurança.

Andar pelo píer é temeroso. A sensação é de que irá desmontar a qualquer momento por não suportar mais peso. Na ponta do equipamento, próximo à descida oficial para acessar os barcos, a estrutura está totalmente desnivelada, dando a impressão de que vai virar. As pessoas que ainda se atrevem a utilizá-la, agarram-se como podem ao que restou da mureta de proteção. A degradação vai de ponta a ponta. Está presente da entrada à saída do píer. As madeiras estão soltas e em diversos pontos, inexistem. A ausência cria vácuos perigosos, que permitem a queda de corpo inteiro de uma criança, por exemplo.

Pessoas de idade, aquelas que têm dificuldade de locomoção e as crianças são vítimas fáceis do píer, abandonado pelo poder público. Nem a Prefeitura de Sirinhaém nem o governo de Pernambuco cuidam dele, acusam os barqueiros e moradores da área. “Esse píer foi construído em 2000 para viabilizar os passeios para a Praia de Carneiros e reformado pela última vez há seis anos. Desde então, não recebe nenhum tipo de melhoria. Temos vergonha de passar com os turistas e é comum eles caírem no percurso. Temos que ajudá-los o tempo todo”, critica o barqueiro José Roberto Lira, que faz passeios na área.

Na tentativa de minimizar o risco dos visitantes, os barqueiros fizeram uma cota e construíram duas escadas no meio do píer para evitar que os turistas caminhem até a ponta, onde a degradação é maior. “Foi uma forma de evitar mais acidentes. As pessoas tropeçam nas madeiras soltas e chegam a cair, se machucar. O problema é que só podemos utilizar as escadas quando a maré está alta, caso contrário as embarcações não conseguem se aproximar. Por isso pedimos que algo seja feito para recuperar o píer”, pede o barqueiro Nivaldo Francisco da Silva.

Ainda não há data para a interdição do Píer de Mariassu, mas ela acontecerá, segundo a Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, que desde maio voltou a ser responsável pelo equipamento. O fechamento será mantido até que o píer seja recuperado, o que também não tem data para acontecer. Um projeto está em fase de licitação no Prodetur. 

Últimas notícias