ACIDENTE

Motociclista atingido por linha de cerol está em estado grave no HR

Acidente ocorreu no fim da tarde. Vítima está em estado grave e passa por cirurgia

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 24/02/2016 às 18:26
Foto: Rodrigo Lôbo/Acervo JC Imagem
Acidente ocorreu no fim da tarde. Vítima está em estado grave e passa por cirurgia - FOTO: Foto: Rodrigo Lôbo/Acervo JC Imagem
Leitura:

Um motociclista foi atingido por linha de cerol enquanto trafegava na Avenida Abdias de Carvalho, na Zona Oeste do Recife. O fato ocorreu na tarde desta quarta-feira (24), por volta das 16h30. Ubirajara Bandeira de Luna, 46 anos, passou por cirurgia no Hospital da Restauração (HR) e, até a manhã desta quinta-feira (25), permanece na sala de recuperação em estado grave.

A vítima mora e trabalha na oficina da família, no bairro dos Torrões. Ubirajara seguia pela via, nas proximidades da Unidade de Pronto-Atendimento dos Torrões (UPA), no sentido cidade/subúrbio quando aconteceu o acidente. De acordo com testemunhas, a vítima, mesmo com um corte profundo no pescoço, conseguiu fazer o retorno e buscar atendimento na UPA.

"Eu estava na oficina, quando vi meu pai passar com a camisa empoçada de sangue e sem capacete. Eu estranhei ele estar sem o equipamento, deve ter tirado após o corte. Meu pai foi para a UPA e eu corri até lá. Disseram que, quando chegou, só conseguia gritar que tinha sido atingido por cerol. Os médicos falaram também que perdeu muito sangue", conta um dos filhos da vítima Artur Oliveira de Luna, 15 anos.

Ainda de acordo com Artur, empinar pipas com cerol é uma prática comum na região. "Muita gente brinca com pipa nas proximidades do viaduto, no bairro de Roda de Fogo, comunidade do Vietnã. Usam muito cerol", relata. Ele se preocupa com outros irmãos que trabalham na oficina e também andam de moto.

Um boletim de ocorrência foi registrado no Hospital da Restauração (HR). Uma das irmãs da vítima, Gilvaneide Bandeira Luna, 47, deseja que a polícia tome providências. "Não é possível que uma linha de cerol tire a vida do meu irmão, um homem trabalhador que ajuda toda a família. Ele tem 15 filhos de três casamentos. Só cinco são maiores de idade, mas todos dependem dele. Ele também ajuda os quatro irmãos", comenta. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias