Solidariedade

Famílias desabrigadas pelo temporal precisam de alimentos

Por causa do temporal, famílias tiveram de deixar suas casas no Recife, em Olinda e em Paulista. Ajuda vem de campanhas

Cleide Alves
Cleide Alves
Publicado em 02/06/2016 às 8:08
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Por causa do temporal, famílias tiveram de deixar suas casas no Recife, em Olinda e em Paulista. Ajuda vem de campanhas - Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Leitura:

Todos os donativos são bem-vindos às famílias desabrigadas pelo temporal que atingiu o Grande Recife na última segunda-feira (30). Mas, itens da cesta básica são considerados prioritários no momento. “O que eles mais precisam é de alimentos e chegaram poucos”, diz Nadjane Cristina Vieira, coordenadora do Projeto Amor e Esperança.

Com sede no bairro de Brejo de Beberibe, Zona Norte do Recife, o Amor e Esperança é um dos pontos de coleta de donativos ligados à prefeitura. “Recebemos travesseiros, lençóis, colchões, roupas, fraldas e xampu”, afirma Nadjane. O material doado já está sendo distribuído com famílias da comunidade Chagas Ferreira, na Linha do Tiro, que tiveram as casas invadidas pelo Rio Beberibe.

Os desalojados estão abrigados, temporariamente, num campo de futebol soçaite da do bairro. “É um lugar aberto, eles estão passando frio. As doações não devolvem o que eles perderam, mas diminuem e aliviam a dor e o sofrimento”, diz Nadjane. A forte chuva não causou estragos no Brejo de Beberibe, mas ela colocou a sede da entidade à disposição do Projeto Transforma Recife, que organiza as coletas na cidade.

Quem puder colaborar pode fazer a entrega em qualquer dia da semana. O telefone para contato é (81) 99930-2643.

Desde quarta-feira (1), o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) lançou campanha para arrecadar alimentos não perecíveis, água, colchões, materiais de limpeza e produtos de higiene pessoal. As doações, de médicos e da sociedade em geral, podem ser feitas na sede da instituição, apenas de segunda a sexta-feira, no horário das 8h às 17h.

O Cremepe funciona na Rua Conselheiro Portela, 203, no bairro do Espinheiro, Zona Norte da capital. E vai receber as contribuições até o próximo dia 15 de junho. “A classe médica, como sempre, não deixará de se fazer presente na solidariedade e na dor dos desabrigados”, declara o presidente do conselho, André Dubeux.

Aluno do Colégio Contato, no Centro do Recife, Vinícius Aleixo, 18 anos, está envolvendo os colegas e os parentes numa campanha para ajudar o porteiro da escola, que mora em Olinda e perdeu tudo por causa da chuva. Ele está recebendo colaborações em dinheiro ou donativos.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias