Montes Guararapes

Festival de Papagaio vai movimentar Montes Guararapes no domingo

Evento, organizado pelo Exército Brasileiro nos Montes Guararapes, em Jaboatão, dia 21, é aberto ao público

Da Editoria Cidades
Da Editoria Cidades
Publicado em 19/08/2016 às 8:08
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
FOTO: Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Leitura:

Se você gosta de empinar papagaio e não tem programação para o próximo domingo (21), aproveite os ventos de agosto e participe do 1º Festival de Papagaio do Parque Histórico Nacional dos Guararapes, em Jaboatão, município do Grande Recife. A brincadeira é uma iniciativa do Exército Brasileiro para atrair visitantes aos Montes Guararapes, lugar onde holandeses e luso-brasileiros se enfrentaram em duas batalhas, no século 17.

O ponto de encontro é o Mirante Henrique Dias, que fica logo após a guarita para quem acessa o parque pela Estrada da Batalha. Uma dica é chegar cedo, porque as inscrições começam às 14h e os 50 primeiros participantes receberão uma camiseta do evento, avisa o general Geraldo Gomes de Mattos Filho, assessor do Comando Militar do Nordeste. O festival, das 15h às 18h, é aberto ao público, sem cobrança de ingresso. Basta levar o papagaio.

 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Parque Histórico Nacional dos Guararapes (Jaboatão) recebe visitantes todos os dias, das 8h às 17h - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
As visitas são gratuitas ao Parque Histórico Nacional dos Guararapes, área de lazer criada em 1971 - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
A Praça os Canhões, nos Montes Guararapes, é um mirante para Piedade, Candeias e a Lagoa Olho d'Água - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres dos Montes Guararapes é um dos atrativos do Parque Histórico - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Comando Militar do Nordeste quer estimular visitações ao Parque Histórico Nacional dos Guararapes - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
O Parque Histórico, em Jaboatão dos Guararapes, é um local voltado para o lazer contemplativo - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Nos Montes Guararapes, holandeses e luso-brasileiros se enfrentaram em duas batalhas no século 17 - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Primeira igreja votiva do Brasil, erguida em agradecimento às vitórias sobre as tropas holandesas - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
A Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres é uma construção das primeiras décadas do século 17 - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
A Igreja dos Prazeres e o parque são considerados monumentos nacionais e protegidos por lei - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
A Praça os Canhões, nos Montes Guararapes, é um mirante para Piedade, Candeias e a Lagoa Olho d'Água - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
O Parque Histórico, em Jaboatão dos Guararapes, é um local voltado para o lazer contemplativo - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
O Parque Histórico, em Jaboatão dos Guararapes, é um local voltado para o lazer contemplativo - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
 Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
O Mirante Henrique Dias, no Parque Histórico, é uma janela para os arranha-céus de Boa Viagem - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem

 

De acordo com o general, essa é a quarta atividade do projeto Viva o Parque, que prevê ações variadas e sempre no terceiro domingo de cada mês. “Começamos em maio, com uma caminhada em homenagem ao dia das mães”, diz ele. Em junho foi organizada uma festa de São João e em julho houve apresentação musical. Durante os eventos, a Associação Mãe Rainha coloca barracas no parque para venda de artesanato e lanches.

“Nossa ideia é estimular a vinda das pessoas ao parque”, reforça o general Gomes de Mattos. As atividades dominicais fazem parte de um plano maior de revitalização, envolvendo o Comando Militar do Nordeste, 7ª Região Militar, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Laboratório de Arqueologia da Universidade Federal de Pernambuco.

HISTÓRIA

Criado em 1971, o Parque Histórico Nacional ocupa uma área de 224,40 hectares, das quais 79,9 hectares são de responsabilidade do Exército. Lá, o visitante encontrará o Mirante Henrique Dias, de onde se contempla a profusão de espigões do bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife; e a Praça dos Canhões, com vista para Piedade, Candeias e para a Lagoa Olho d’Água, em Jaboatão dos Guararapes.

Na área do parque pode-se conhecer o Bosque de Pau-Brasil e a Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres dos Montes Guararapes. Considerada a primeira igreja votiva do Brasil, foi construída como agradecimento pela vitória dos luso-brasileiros sobre as tropas holandesas nas Batalhas dos Guararapes. O templo mantém as portas abertas de terça-feira a domingo, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Esqueletos dos soldados que combateram nos Montes Guararapes, em abril de 1648 e fevereiro de 1649, foram localizados em pesquisa arqueológica na época da criação do parque. “Fizemos a datação das ossadas por Carbono 14 e todas coincidem com o período das batalhas”, afirma o arqueólogo Marcos Albuquerque, coordenador do Laboratório de Arqueologia da UFPE.

Em 2015, o Exército fechou os acessos internos para veículos motorizados, deixando aberta só a entrada pela Estrada da Batalha. E, aos poucos vai providenciar infraestrutura para receber os visitantes. Voltado para o lazer contemplativo, o parque pode ser visitado todos os dias das 8h às 17h, com segurança, diz o general.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias