INCLUSÃO

Projeto Bike sem Barreiras propõe pedaladas para pessoas com deficiência

Inicialmente, foram adquiridas três bicicletas para atender a pessoas com diferentes deficiência

JC Online
JC Online
Publicado em 18/12/2016 às 14:00
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
FOTO: Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Leitura:

Sentir o vento no rosto em cima de uma bicicleta. A sensação de liberdade pode parecer simples para muitas pessoas, mas hoje ela se tornou realidade para os primeiros participantes do projeto Bike sem Barreiras. A iniciativa, viabilizada pela Uninassau com apoio da Prefeitura do Recife e Governo do Estado, levou três bicicletas adaptadas para pessoas com deficiência: visual, motora e física.

A partir de agora, todos os domingos e feriados haverá um ponto fixo, na praça Edgar Amorim, em frente ao Parque da Jaqueira, na Avenida Rui Barbosa, com as magrelas e instrutores para auxiliar os participantes da pedalada.

O paratleta Emídio Fernando Costa de Oliveira, que integra a equipe de vôlei sentado do Náutico, foi um dos primeiros a testar o equipamento adaptato. Ele teve paralisia infantil e usa cadeira de rodas. Sorridente, ele cruzava a ciclofaixa de turismo e lazer conduzindo a magrela, chamada de handbike, por ter os pedais nas mãos, junto ao freio e às marchas.

“Sempre quis experimentar uma dessas, é um sensação muito gostosa de liberdade. Parece que estou em uma moto”, descreveu. “O único problema é que ela é cara, se não eu compraria uma para mim. Ainda bem que tenho essa opção gratuita aqui”, acrescentou.

Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
- Foto: Tato Rocha/JC Imagem

INVESTIMENTO

Para implementar o projeto, a Uninassau investiu algo em torno de 10 mil dólares (aproximadamente R$ 34 mil) para aquisição das bicicletas e para montar o estande onde funcionará o bicicletário.

O diretor de responsabilidade social da Uninassau conta que, inicialmente, foram adquiridas três bicicletas para atender a diferentes deficiências. 

Ele conta que, além das pedaladas, a tendas terão toda uma retaguarda voltada para a saúde e bem-estar dos participantes. Haverá equipes de fisioterapia, enfermagem e nutrição. "As pessoas que chegarem aqui terão esse atendimento prévio de alongamento, massagem, avaliação nutricional, aferição de pressão. Vamos ter também espaço kids para que as pessoas possam trazer os fillhos", explicou. Serão doze monitores, seis pela manhã e seis à tarde.



Últimas notícias