SOLIDARIEDADE

Campanha Regar, em defesa do Movimento Pró-Criança, entra em nova fase

Iniciativa é parceria entre Compesa, Secovi e Jornal do Commercio

JC Online
JC Online
Publicado em 14/02/2017 às 14:34
Guga Matos/JC Imagem
Iniciativa é parceria entre Compesa, Secovi e Jornal do Commercio - FOTO: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

O Movimento Pró-Criança, em parceria com o Sindicato da Habitação de Pernambuco (Secovi-PE) e da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), apresentou, nesta terça-feira, os detalhes da nova fase da Campanha Regar. O evento contou com a presença do arcebispo de Olinda e Recife e presidente do Pró-Criança, dom Fernando Saburido, e reuniu mais de cem síndicos e representantes de condomínios do Estado, no Empresarial RioMar Trade Center, bairro do Pina.

 Tendo como slogan “Sua conta d’água pode encher vidas de esperança”, a Campanha Regar lançada há um mês nos veículos do Sistema Jornal do Commercio, passa a focar em moradores de condomínios. Atualmente, menos de 2% das pessoas que ajudam o Pró-Criança por meio da conta de água são condôminos.

DOAÇÕES

 A Campanha Regar permite que clientes da Compesa contribuam com a ONG a partir da inclusão de uma taxa mínima de R$1,50 na fatura enviada pela Compesa. A doação é repassada integralmente ao Pró-Criança e ajudará a manter o trabalho de educação e formação profissional de mais de 2.000 jovens em situação de vulnerabilidade social.

 Os novos doadores podem fazer o cadastro diretamente no site da Campanha Regar (www.campanharegar.com.br) ou, se preferir, procurar o síndico para que ele faça a inscrição. É necessário, apenas, fornecer dados básicos como nome completo, CPF, e-mail, telefone e o número de matrícula do imóvel na Compesa. A contribuição é realizada de maneira individual, ou seja, apenas o imóvel registrado no sistema terá a doação debitada.

 “Quem mora em prédio onde a conta de água é única e dividida por todos os moradores não estará impedido de contribuir. É possível solicitar ao síndico o registro do imóvel que fará a doação e apenas ele será cobrado. O valor será acrescido à taxa de condomínio do doador”, explicou Barros.

 Nas contas do MPC as despesas diretas com os alunos ultrapassam 85% do orçamento. Em 2015, para garantir aulas como as de dança, judô, canto coral e informática, além de alimentação para cerca de 2.500 crianças e adolescentes, a instituição investiu R$ 4,1 milhões. Desse total, R$ 3,5 milhões vieram de doações feitas por pessoas físicas.

 

 

Últimas notícias