Saneamento Básico

Compesa capta R$ 20 milhões para obras de saneamento em Paulista

Dinheiro, captado junto ao ministério das Cidades, será aplicado para ampliar o sistema de saneamento de Paulista, beneficiando cerca de 40 mil moradores

JC Online
JC Online
Publicado em 17/02/2017 às 21:09
Aluisio Moreira/SEI
Dinheiro, captado junto ao ministério das Cidades, será aplicado para ampliar o sistema de saneamento de Paulista, beneficiando cerca de 40 mil moradores - FOTO: Aluisio Moreira/SEI
Leitura:

O governador Paulo Câmara anunciou, na manhã desta sexta-feira (17), um investimento de R$ 20 milhões para a ampliação do esgotamento sanitário de Paulista, na Região Metropolitana do Recife. Após a conclusão das obras, os bairros de Fragoso, Torres Galvão e Tabajara serão beneficiados, atendendo cerca de 40 mil paulistenses por dia.

O dinheiro que será utilizado para a ampliação do esgotamento sanitário foi captado junto ao Ministério das Cidades e será aplicado pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Para o governador, essa parceria entre as esferas estadual e federal é importante para garantir a melhoria de vida dos paulistenses. “Saneamento é saúde pública. Esses R$ 20 milhões significam uma melhoria na qualidade de vida das pessoas”, declarou Paulo Câmara, completando que o governo de Pernambuco planeja, pelos próximos 12 anos, sanear 90% das cidades do Estado.

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, anunciou também que o Governo Federal deverá aplicar o mesmo valor para as outras etapas da obra. “No mesmo dia da inauguração dessa etapa, vamos autorizar mais R$ 20 milhões para o município do Paulista. Precisamos entregar as obras para a população, que espera melhoria na qualidade desse serviço”, afirmou.

Já O presidente em exercício da Compesa, Ricardo Barretto, acredita que a obra significará mais qualidade de vida as paulistenses. “É uma cidade com uma urbanização mais completa. Isso permite dar uma condição de vida melhor para o dia a dia dos moradores desses bairros contemplados”. Os próximos R$ 20 milhões a serem captados, de acordo com Barretto, serão investidos na rede coletora de esgotos de outros bairros do município.

A obra prevê a construção de 82 mil metros de rede coletora de esgotos e duas Estações de Elevatórias - EE-1 e EE-2, com capacidade de bombear 16 e 42 litros por segundo, respectivamente. Todo o sistema será integrado ao Sistema de Esgotamento Sanitário - SES Olinda com destino final na Estação de Tratamento de Esgotos - ETE Janga.  

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias