Limpeza Urbana

Garis paralisam atividades no Recife até segunda-feira

A classe reivindica melhores condições de trabalho e pede a manutenção do emprego

JC Online
JC Online
Publicado em 07/04/2017 às 10:01
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
A classe reivindica melhores condições de trabalho e pede a manutenção do emprego - FOTO: Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

Em assembleia na manhã desta sexta-feira (7), realizada na garagem dos caminhões de coleta, na BR-101 Sul, garis e representantes do Sindicato dos profissionais de limpeza urbana decidiram paralisar de imediato as atividades de coleta de lixo, de acordo com Rinaldo Júnior, presidente da Força Sindical em Pernambuco. O serviço fica interrompido no Recife até a próxima segunda-feira (10), quando uma nova assembleia decide se a paralisação continua. Os profissionais de Jaboatão dos Guararapes fazem assembleia neste sábado, enquanto os de Olinda e Paulista decidem no domingo se também paralisam.

A classe reivindica melhores condições de trabalho e pede a manutenção do emprego, devido a uma decisão do Ministério do Trabalho que proíbe o profissional de realizar a coleta pendurado no estribo dos caminhões caçamba.

" Se resolverem antes, o trabalho pode retornar no final de semana, mas daqui para lá só a varrição continua", afirmou Rinaldo. Há ainda o medo de que ocorram vários demissões e sobrecarga nas atividades. "Só cabem duas pessoas nos estribos para fazer a coleta e a função é feita por três, então alguém seria demitido e o trabalho aumentaria para os outros dois".

Resposta do Ministério do Trabalho

Na última sexta-feira (31), foram interditados 100 caminhões compactadores das cidades de Recife, Olinda, Abreu e Lima, Paulista e Jaboatão do Guararapes que faziam o transporte irregular dos profissionais na coleta de lixo domiciliar, segundo o Ministério do Trabalho. A alegação do órgão é de foram percebidas situações de risco grave à vida dos trabalhadores, que ferem as normas de trabalho e o código de trânsito.

“Se o caminhão fizer uma frenagem brusca ou houver algum obstáculo na pista do qual o motorista precise se desviar, os coletores podem cair dos estribos e serem atropelados por outros veículos na pista, ou mesmo pelo próprio caminhão de lixo, principalmente nos casos de marcha à ré”, declarou o MT.

Segundo o órgão, a prática do coletores fere os artigos 230, que veta o transporte de passageiros em veículos de carga, e 167, que proíbe a falta de uso do cinto de segurança, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O MT acrescenta ainda que ''são freqüentes as lesões por prensamento ou esmagamento de membros nos mecanismos de compactação de lixo''. Segundo Aline moras, Auditora-fiscal do Trabalho a forma da coleta tem que mudar. "Algumas empresas estavam deixando de levar os trabalhadores nos estribos, mas os fazendo correr longas distâncias atrás dos caminhões, então a forma de coleta é que tem que ser alterada, mas sem causar estafa nesses profissionais", alertou.

Nota da Emlurb

A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) se posicionou a respeito da paralisação através de uma nota. Confira a íntegra do comunicado abaixo:

A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) informa que está monitorando a paralisação das empresas responsáveis pela limpeza urbana da cidade e que está buscando junto ao Ministério Público do Trabalho uma medida cautelar para que o serviço seja retomado imediatamente. O problema é decorrente de uma situação exclusiva entre as empresas e o TRT-PE.

 O município está atuando na tentativa de contribuir para que as partes entrem em acordo, uma vez que a população não pode ser prejudicada, sobretudo, nesse período de inverno, quando o descarte de lixo pode provocar problemas ainda mais sérios como alagamentos e deslizamento de barreiras. A Emlurb reforça, ainda, que está em dia com os pagamentos das terceirizadas. 

Últimas notícias