ÁGUA

Chuvas recuperam mananciais e reduzem racionamento na Mata Sul

Somente o Açude de Água Fria de Cima, em Sirinhaém, recuperou aproximadamente 25% da sua capacidade

JC Online
JC Online
Publicado em 18/04/2017 às 18:22
Foto: Divulgação
Somente o Açude de Água Fria de Cima, em Sirinhaém, recuperou aproximadamente 25% da sua capacidade - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

As chuvas que têm atingido a Zona da Mata Sul de Pernambuco, neste mês de abril, têm sido satisfatórias no que diz respeito à recuperação dos mananciais que abastecem os municípios da região. Fontes de cinco cidades aumentaram o nível de vazão, diminuindo o racionamento em municípios como Rio Formoso e Ribeirão.

Em Vitória de Santo Antão, duas fontes de abastecimento da cidade já apresentam melhorias dos níveis. A Barragem de Jussara, de nível, que capta água no Rio Jaboatãozinho está vertendo há cerca de 15 dias, e a Barragem Águas Claras aumentou de 25% para 30% a capacidade de acumulação. As chuvas trouxeram tranquilidade para Vitória, que conta ainda com o incremento de água de uma nova Adutora do Sistema Tapacurá, em operação desde fevereiro deste ano.

Em Rio Formoso, o Açude Cossocó, que estava em pré-colapso, recuperou uma parte significativa do seu volume, e a Companhia já está retirando 5 litros por segundo do manancial para o abastecimento da cidade, que também é atendida pelo Riacho dos Gatos. Neste último, com a regularização do nível, já foi possível acionar um segundo de conjunto de bombeamento, desde a semana passada.

A partir desta terça-feira (18), a população de Rio Formoso já será abastecida um dia com água e dois dias sem, sendo que uma parcela da população - que corresponde a 25% da cidade - terá água durante 24 horas.

Desde a última quinta-feira (13), a Compesa passou a retirar água do Riacho Ditoso, em Ribeirão, sem intervalos. Após as últimas chuvas, o riacho regularizou o seu volume, permitindo que a barragem de nível capte água normalmente. O manancial, junto com o Rio Amaraji e o Açude Ingaí, respondem pelo fornecimento de água para a cidade de Ribeirão. Diante desse novo quadro, 60% da cidade está sendo atendida sem racionamento.

O Açude de Água Fria de Cima, em Sirinhaém, recuperou aproximadamente 25% da sua capacidade, volume suficiente para retirar o distrito de Santo Amaro de Sirinhaém, com cerca de 8 mil moradores, do racionamento, segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

No município de Escada, a companhia também voltou a captar água no Rio Sapocagy, durante 24 horas, em função dos últimos dias de chuvas regulares. Dentro de 45 dias, a companhia substituirá os atuais conjuntos de bombeamento instalados no riacho, que estão com baixo rendimento, para aumentar a atual vazão explorada, de 66 litros por segundo, para mais de 100 litros. Atualmente, a população de Escada é abastecida no regime de um dia com água e cinco dias sem.

Mata Norte

Na Zona da Mata Norte, as chuvas não foram significativas para recuperar os níveis dos mananciais da região, exceto pela Barragem do Siriji, em Vicência. Até a última quarta-feira (12), a barragem estava com 66% de sua reservação total, e de lá até esta terça aumentou em 5% a sua acumulação, registrando agora 71% da sua capacidade total (17 milhões de metros cúbicos).

O Sistema Siriji é responsável pelo abastecimento das cidades de Vicência, Buenos Aires, Itaquitinga, Aliança, Condado, Machados, Macaparana e São Vicente Férrer.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias