Entrevista

Mãe de jovem que cumpriu 49 tarefas do Baleia Azul notou introspecção

Mudança de comportamento aconteceu há cerca de três meses, mas só foi descoberta após foto postada no Facebook

Margarida Azevedo Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 13/05/2017 às 8:30
JC Imagem
Mudança de comportamento aconteceu há cerca de três meses, mas só foi descoberta após foto postada no Facebook - FOTO: JC Imagem
Leitura:

Mãe de jovem que participava do Baleia Azul e chegou à penúltima de 50 tarefas diz que filha estava retraída e só descobriu o motivo após uma foto postada no Facebook.

Há quanto tempo a senhora notou comportamento estranho da sua filha?
MÃE– Há mais ou menos três meses venho percebendo mudança de comportamento. Se aprisionando no quarto, passando muitas horas no banheiro, com porta fechada durante muito tempo. Escutando músicas melancólicas. Ela se sentia confortável em ver filmes tristes, de terror, macabros, de origem perversa e sentia prazer em ver isso. Notei também que a introspecção dela vinha aumentando, estava muito trancada, muito fechada, até antes mesmo de eu descobrir o que estava acontecendo.

Como foi que a senhora descobriu que ela estava no jogo Baleia Azul?
MÃE – Pela postagem de uma foto no Facebook, na madrugada de quarta-feira. Meu cunhado estava online e viu na hora. Ele printou a tela e salvou. Me chamou para mostrar e de pronto eu identifiquei que era ela. Por isso a gente descobriu, porque foi muito rápido.

O que a senhora pensou ou sentiu na hora?
MÃE – Fiquei horrorizada, apavorada e de imediato me prontifiquei a procurar a polícia para tomar as providências. Procurei ajudar minha filha. Tentei conversar com ela no mesmo dia. Pedi que me mostrasse o corpo para eu ter a confirmação de que era ela mesma. Ela resistiu um pouco mas acabou permitindo. E constatei que o corpo dela estava mutilado. Mas de maneira nenhuma ela confessou, não quis me relatar o que estava acontecendo, ficou em silêncio o tempo todo.

A senhora imaginava que poderia acontecer isso na sua família?
MÃE – Infelizmente temos a impressão de que com a gente é quase impossível. Às vezes estamos diante do fato e não percebemos. Eu só percebi a introspecção dela, mas não associava ao jogo, embora eu já tivesse ouvido falar do Baleia Azul pela imprensa.

Como ela está agora?
MÃE – Ela usava os smartphones meu e do meu marido. Confiscamos e ela não teve mais acesso a internet. Minha filha está muito resistente a mim, muito retraída, demonstrando uma revolta grande por eu ter descoberto e se trancou mais ainda. Desde ontem (quinta-feira) não quer conversar comigo, não quer falar com ninguém.

Últimas notícias