Crime

Nove pessoas de uma mesma família são socorridas com sintomas de envenenamento

Ex-namorado de uma das vítimas é o principal suspeito de ter envenenado a família

JC Online
JC Online
Publicado em 14/05/2017 às 22:02
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Ex-namorado de uma das vítimas é o principal suspeito de ter envenenado a família - FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

Atualizada às 23h42

Nove pessoas de uma mesma família de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foram socorridas com suspeita de envenenamento, neste domingo, no Recife. A suspeita é que eles foram envenenados por chumbinho, o famoso veneno para rato que é vendido irregularmente. O principal suspeito é o ex-namorado, que teria colocado o veneno no almoço do Dia das Mães.

O caso

De acordo com o delegado, o ex-namorado, insatisfeito com o término do namoro com Débora Regina Belo Soares, de 20 anos, teria ido à casa da vítima para envenenar o almoço do Dia das Mães, preparado pela própria Débora no sábado.

Débora, por sinal, teria passado mal ainda no sábado, mas os familiares não desconfiaram que fosse a comida. Somente neste domingo, após toda a família comer o almoço, é que a suspeita aumentou. Ainda mais porque nos últimos dias, relatou o delegado, Kiko estaria rondando a casa da ex-namorada buscando se vingar.

Comeram e foram socorridos

Neste domingo (14), após almoçarem, os nove membros da família foram socorridos. A única vítima fatal foi o gato da família, que também comeu do mesmo prato.

Dos nove familiares, o caso mais grave é o da ex-namorada, Débora Regina Belo Soares. Ela encontra-se na emergência do Hospital da Restauração. As demais vítimas são: Talison Gomes Soares, Valquilene Maria Soares, Nilsa Maria da Silva, Augusto Francisco Soares e Regivaldo Francisco Soares. Todos eles foram encaminhados à Upa da Caxangá. Já Vilma Maria Soares, José Edson Soares da Silva e Gleice Kelly Soares foram para a Upa dos Torrões. Como esses três não apresentaram quadro de envenenamento, o delegado que investiga o caso não os considera como vítimas. Eles foram medicados e liberados.

Polícia recolheu provas

PEricia

Foto: Edson Araújo/TV Jornal

No fim da noite deste domingo, o Instituto de Criminalística da Polícia Civil foi ao local para recolher provas do crime. Segundo informações da TV Jornal, que esteve no local, os peritos recolheram um lençol, feijão, a galinha do almoço e o coloral usado para temperar. Além disso, os vômitos do gato, que morreu, e de duas pessoas também foram recolhidos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias