PROTEÇÃO

Abrigo de idosos é interditado no Cordeiro

A instituição tem o prazo de 15 dias para comunicar os familiares dos idosos, que devem providenciar a remoção para outra unidade, e 30 dias para encerramento em definitivo das atividades

JC Online
JC Online
Publicado em 18/05/2017 às 20:55
Foto: Divulgação/ Secretaria Executiva de Direitos Humanos
A instituição tem o prazo de 15 dias para comunicar os familiares dos idosos, que devem providenciar a remoção para outra unidade, e 30 dias para encerramento em definitivo das atividades - FOTO: Foto: Divulgação/ Secretaria Executiva de Direitos Humanos
Leitura:

Uma semana desde a última interdição deste tipo, um abrigo de idosos localizado no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, foi interditado nesta quinta-feira (18), após fiscalização de representantes da Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos. Várias irregularidades foram identificadas no lar que atende a 28 idosos. A instituição tem 15 dias para comunicar os familiares dos idosos, que devem providenciar a remoção para outra unidade, e 30 dias para encerramento em definitivo das atividades

Alimentação insuficiente, falta de higiene, ausência de mobilidade e acessibilidade com áreas de desníveis do piso em vários ambientes, falta de ventilação e excesso de camas por dormitório, colocando em risco a integridade física dos idosos; além da ausência de atividades ocupacionais e a desatualização nos relatórios de evolução médica são alguns dos problemas encontrados.

A fiscalização ainda encontrou medicamentos não identificados, fracionados e sem registro de data de validade. Ambiente sugestivo de impregnação (efeito colateral causado por medicamentos psiquiátricos ou neurológicos), ausência de acompanhamento nutricional e cardápio, inclusive, sem diferenciação para idosos com patologias como diabetes ou alteração de pressão arterial. Também foi identificada irregularidade contratual, uma vez que nenhum dos contratos de prestação de serviço indica o valor da mensalidade.

O abrigo não teve o nome divulgado para preservar os moradores.

Realização

A ação foi realizada pelo Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa (CIAPPI), da Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH), Procon, Vigilância Sanitária do Recife e Ministério Público de Pernambuco.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias