TEMPORAL

Em Palmares, moradores e comerciantes fizeram faxina para limpar lama

Casas e lojas ficaram tomadas de lama, trazida pelas enchentes do final de semana. Ruas também estavam sujas

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 30/05/2017 às 8:22
Diego Nigro/JC Imagem
FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

Em Palmares, distante 120 quilômetros do Recife, a segunda-feira começou com prejuízo e faxina. Em várias ruas do Centro e dos bairros de Cohab e Pedreiras e no distrito de Santo Antônio de Palmares – os mais atingidos pelo temporal do fim de semana – o que se viu foi muita gente com vassouras, rodos e baldes tirando a lama de lojas e residências. As vias públicas também estavam tomadas pelo rastro de destruição causado pela chuva, embora nem de perto parecido com o das enchentes de 2010 e 2011.

Sofás, cadeiras, carcaças de televisão, roupas, livros, eletrodomésticos e outros pertences foram colocados no lixo. “Perdi muita coisa. Foram três guarda-roupas, um conjunto de sofá, dois beliches, geladeira, cômoda e armário perdidos. Salvamos documentos, uma televisão e roupas. A Defesa Civil demorou a dar o alerta para que saíssemos de casa. Confiamos e terminamos prejudicados, pois não deu tempo de tirar quase nada”, lamentou o encarregado de obras José Fernandes, morador do Centro, enquanto limpava o imóvel.

Na residência dele, localizada na Rua Benigno de Barros, moram cinco adultos e quatro crianças. A água atingiu 1,20 de altura. A marca está nas paredes da frente e de dentro da residência. “Estamos na casa de um irmão meu até que tudo volte ao normal. Agora é trabalhar para comprar as coisas novamente”, disse José. Em 2010 e 2011 sua família não sofreu com as enchentes, pois morava em outro local.

As aulas em todas as escolas de Palmares, públicas e privadas, foram suspensas. Quatro colégios (dois municipais e dois estaduais) estão sendo usados como abrigos. “O município não estava preparado para essa enchente porque tínhamos certeza de que não haveria mais alagamentos na cidade por causa da Barragem de Serro Azul. Também não recebemos nenhum alerta da Defesa Civil do Estado”, afirmou o prefeito, Altair Júnior (PMDB). Segundo a gestão, a cidade tem 8 mil pessoas desalojadas e 800 desabrigadas.

DESLIZAMENTOS

Em Ribeirão, uma das preocupações é com o deslizamento de barreiras. Também com o fornecimento de água, interrompido domingo. A prefeitura contabilizou 313 casas atingidas por queda de barro. Dessas, há 49 condenadas pela Defesa Civil municipal. Outros 590 famílias sofreram com água dentro das residências. “Moro no bairro de Bandeirante. Lá uma barreira atingiu sete casas. Por sorte não houve feridos, mas um homem ficou com barro até o pescoço”, afirmou o funcionário público Edelvaci Silva.

Cinco das nove escolas municipais foram transformados em abrigos. As aulas estão suspensas para 6 mil alunos, de acordo com a secretária municipal de Educação, Carolina Jordão. Nas Escolas Municipais Maria Cícera e Sônia Lustosa há 136 pessoas de cerca de 30 famílias. A maioria reside no bairro de Beira Rio.

Diego Nigro/JC Imagem
- Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
As chuvas castigaram Pernambuco neste fim de semana - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Governador Paulo Câmara vistoria áreas atingidas - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Móveis e pessoas não têm onde ficar - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Em Belém de Maria não é diferente: lama pra todo lado e moradores fazendo a limpeza - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
O Governador Paulo Câmara foi à Belém de Maria conferir os estragos - Diego Nigro/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Dia é de recomeço na Mata Sul - Diego Nigro/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Moradores de Palmares limpam casas após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Lama invadiu todos os espaços - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Força da água impressiona - Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Em especial à Mata Sul - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Cenário é de guerra em Belém de Maria, na Mata Sul - Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Várias barreiras nas estradas, como nessa, na PE-60, sofreram deslizamentos - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Ao todo, 14 cidades decretaram estado de calamidade - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Queda de árvore prejudica o trânsito na BR-101 Sul, próximo a Palmares - Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Muitas famílias ficaram ilhadas em suas próprias casas - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Outras, que perderam tudo, não tiveram a mesma sorte - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
O cenário é de completo terror por conta das chuvas - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Isso sem falar no risco de contrair várias doenças - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Nesta segunda-feira a Defesa Civil Nacional enviará ajuda a Pernambuco - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Na tentativa de amenizar o drama de milhares de pernambucanos - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Neste domingo, a forte chuva castigou muito - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
- Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
- Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
- Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
- Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
- Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
- Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
- Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
A cidade de Água Preta ficou debaixo de água - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Vários moradores perderam praticamente tudo em Água Preta - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
A situação em Barreiros também não é nada boa - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
A situação em Barreiros também não é nada boa - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Barreiros-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Barreiros-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Barreiros-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Barreiros-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Quem tentou pegar a BR-101 também encontrou muita dificuldade - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Castigada em 2010, a cidade de Palmares também ficou debaixo de água - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Palmares-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Palmares-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Em Ribeirão a situação também é de calamidade - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Ribeirão-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Ribeirão-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Ribeirão-PE - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Ribeirão-PE -
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Moradores de Barreiros começam a deixar a cidade - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Cada um sai de Barreiros-PE da forma que dá - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Barreiros-PE - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Até de caminhão o povo está indo embora de Barreiros-PE - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
As pessoas estão levando o que pode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Barreiros-PE -
Barreiros-PE -
Diego Nigro/JC Imagem
Rio Ipojuca, em Escada-PE - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Rio Ipojuca, em Escada-PE - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Ruas foram encobertas por lama - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Rio Ipojuca, em Escada-PE - Diego Nigro/JC Imagem
Suelen Brainer/TV Jornal
Palmares-PE - Suelen Brainer/TV Jornal
Suelen Brainer/TV Jornal
Palmares-PE - Suelen Brainer/TV Jornal
Diego Nigro/JC Imagem
Rio Ipojuca, em Escada-PE - Diego Nigro/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Queda de árvore prejudica o trânsito na BR-101 Sul, próximo a Palmares - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Queda de árvore prejudica o trânsito na BR-101 Sul, próximo a Palmares - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem
Centro de Palmares após enchente - Bobby Fabisak/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Município de Catende após as chuvas - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Município de Catende após as chuvas - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Município de Catende após as chuvas - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Município de Catende após as chuvas - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Município de Catende após as chuvas - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Município de Catende após as chuvas - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
- Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Situação da cidade de Catende nesta segunda (29) - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Em Catende, a ordem é limpar e reconstruir tudo - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Em Catende, a ordem é limpar e reconstruir tudo - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
- Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Em Belém de Maria não é diferente: lama pra todo lado e moradores fazendo a limpeza - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
Em Belém de Maria não é diferente: lama pra todo lado e moradores fazendo a limpeza - Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
- Diego Nigro/JC Imagem
Diego Nigro/JC Imagem
- Diego Nigro/JC Imagem
-

Roseane Oliveira, o marido e quatro filhos dividem o espaço de uma sala de aula, desde domingo, com outras cinco famílias, na Escola Maria Cícera. “Ficou tudo destruído. Só fiz chorar quando vi o estrago. Só tiramos os documentos de casa”, comentou Roseane.

Em Água Preta, cerca de 200 famílias, em torno de 800 pessoas, ficaram desabrigadas. Segundo o secretário de Governo, Articulação e Defesa Social, Guilherme Coutinho, esses moradores estão alojados em escolas públicas e igrejas e a prefeitura vem realizado um grande mutirão de limpeza.

“Há muitas vias destruídas, as ruas estão cheias de crateras e nos locais mais baixos da zona rural solicitamos ajuda ao Corpo de Bombeiros para atuar de barco. Também estamos pedindo ajuda para alimentos, roupas e remédios.”

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias