MOBILIDADE

Saiba quais são os perigos para quem precisa trafegar pela BR-232

Má conservação e falta de sinalização vão testar motoristas no período junino

JC Online
JC Online
Publicado em 22/06/2017 às 6:27
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
FOTO: Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

Os caminhos para alguns dos principais polos do São João de Pernambuco passam pelos 130 quilômetros da BR-232 entre o Recife e o município de Caruaru, no Agreste. Mas quem está de malas prontas para pegar a estrada a partir desta quinta-feira (21), saiba que vai ter de pular uma grande fogueira: o péssimo estado de conservação e a falta de sinalização nos dois sentidos da via vão exigir atenção redobrada ao volante e, principalmente, vigilância no pé do acelerador.

Para quem segue no sentido do interior, os problemas começam já na saída do Recife, onde as placas de sinalização estão pichadas, depredadas, ou simplesmente sumiram. Nas imediações do município de Moreno, na Região Metropolitana, os remendos na pista vão ficando mais frequentes. Um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) próximo à entrada da cidade está desativado desde o início deste ano, devido ao término de um convênio entre a prefeitura e a corporação.

JC-CID0622_SAOJOAO_BR232-web

DANOS

O trecho entre Vitória de Santo Antão e Gravatá é percorrido com relativa tranquilidade. De Bezerros até Caruaru, mais asfalto ruim e placas deficientes. Na maior parte dos dois sentidos da rodovia, o mato alto engole placas e algumas partes do acostamento. O serviço de capinação inexiste por ali.

Para quem trafega em direção ao Recife, a via-crucis é maior. Os 50 quilômetros entre Caruaru e Gravatá são os mais críticos. Os desníveis na pista exigem que os condutores, para viajar com segurança, não cheguem perto dos 100 km/h, o limite máximo permitido.

Inaugurada em 2002, a duplicação da rodovia custou cerca de R$ 400 milhões e foi símbolo máximo da gestão Jarbas Vasconcelos/Mendonça Filho (1999-2006) à frente do governo do Estado. Quinze anos depois, a má conservação, a fiscalização deficiente e a imprudência dos motoristas são traduzidos em acidentes: no trecho entre o Recife e Caruaru, foram 190 no ano de 2016, número menor que os 246 registrados em 2015, mas ainda preocupante. Os trechos entre Recife e Jaboatão, além da área de Caruaru, são os campeões de ocorrências. “É importante que os condutores observem os limites de velocidade, mantenham distância segura do veículo da frente e não usem o celular enquanto dirigem”, observa o inspetor Cristiano Mendonça, da PRF.

Para o professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) Maurício Pina, o mau estado da BR-232 é fruto, entre outras coisas, da ação do tempo e da falta de fiscalização do peso dos veículos que circulam na rodovia. “A vida útil de um pavimento de concreto é de 20 anos. Com 15 anos, a 232 já cumpriu 75% desse período”, afirma. Ele conta que coordenou uma pesquisa sobre o impacto do peso dos caminhões e carretas sobre o asfalto da via. “Cerca de 62% dos que circulam na BR-232 têm carga acima do permitido, muitas vezes mais que o dobro. E o efeito sobre o pavimento é exponencialmente maior”.

Para ele, a discussão sobre a privatização da rodovia deveria ser feita “sem radicalismos” pela sociedade. “O governo tem cada vez menos recursos para obras estruturais. Está na hora de nos perguntarmos se vamos querer pagar para ter uma estrada de qualidade ou simplesmente deixá-la se acabar”, pontua.

Segundo a Secretaria de Transportes do governo do Estado, os futuros investimentos na BR-232 estão inseridos no Programa de Investimento em Logística (PIL) do governo federal. Ainda não há perspectiva sobre a possível concessão da rodovia a empresas provadas. O trecho da BR-232 entre o Recife e Caruaru está sob a batuta do governo do Estado até 2027.

Por meio de nota, o Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER-PE) informou que trabalhará em conjunto com Detran e PRF para ordenar o fluxo de veículos, cujo aumento no período junino é de 40%. As lombadas eletrônicas da saída do Recife serão desligadas de 22h de hoje até 5h do dia 26.

Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
- Foto: Diego Nigro/JC Imagem

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias