BRAÇOS CRUZADOS

Servidores do Recife fazem protesto e anunciam greve por questão salarial

A paralisação vai atingir todas as secretarias da Prefeitura, inclusive o setor de Finanças, Controle Urbano e Fiscalização

JC Online
JC Online
Publicado em 27/07/2017 às 15:03
Foto: Reprodução/Simpere
A paralisação vai atingir todas as secretarias da Prefeitura, inclusive o setor de Finanças, Controle Urbano e Fiscalização - FOTO: Foto: Reprodução/Simpere
Leitura:

Os servidores públicos do Recife anunciaram, nesta quinta-feira (27), o início de uma paralisação por tempo indeterminado nas atividades como forma de reivindicar melhores condições salarias. Em protesto, no início da tarde de hoje, servidores ligados ao Sindicato dos/as Servidores/as e Empregados/as Públicos/as Municipais da Administração Direta e Indireta da Cidade do Recife (Sindsepre), interditaram os dois sentidos da Avenida Cais do Apolo, no bairro do Recife, e incendiaram pneu em frente ao prédio da prefeitura da cidade. Para esta sexta-feira (28), foi marcado uma nova manifestação,  no cemitério de Santo Amaro, também no Centro, para fazer um enterro simbólico do prefeito Geraldo Julio (PSB).

De acordo com publicação do sindicato, a prefeitura não cumpre a Lei nº 18.037/14. A legislação municipal determina que a data-base dos/as servidores/as municipais da Administração Direta e Indireta é janeiro de cada ano, contudo, até agora, conforme o Sindsepre, os trabalhadores não receberam aumento. 

A Greve vai atingir todas as Secretarias da Prefeitura, inclusive o setor de Finanças, Controle Urbano, Fiscalização, serviços das Farmácias, Assistência Social, Creches, CAPS, setores administrativos, fundações e autarquias municipais: URB, EMLURB, CSURB, CTTU, Fundação de Cultura.

A pauta geral dos servidores reivindica a reposição das perdas salarias do período e implementação imediata do Plano de Cargos, Carreira, Desenvolvimento e Vencimentos (PCCDV) aprovados, convocação dos concursados e abertura do Saúde Recife para todos os trabalhadores.

Médicos

Nesta quinta, médicos da rede municipal anunciaram uma paralisação de advertência durante 48h. A ação cobra a resolução de problemas nas condições de trabalho, questões de segurança, estrutura física e programa de perceptoria. Segundo o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), o aumento salarial também está na lista de reivindicações.

Proposta PCR

Nesta quinta, a PCR  ofereceu aumento de 12,9% no auxílio-alimentação de todos os servidores do município, de R$ 15,50 para R$ 17,50 por dia, a contar a partir do mês de outubro. Também foi colocada uma proposta de reajuste salarial atrelada à diminuição da relação entre a Despesa Total com Pessoal (DTP) com a Receita Corrente Líquida (RCL) ao fim do segundo quadrimestre.

 

 

 

Últimas notícias