TRAGÉDIA

Mãe de vítima incendiada em casarão no Recife culpa dono do imóvel e critica resgate

Vistoria que encontrou dois corpos carbonizados no local só foi feita nesta segunda-feira (31). Incêndio aconteceu na madrugada desse domingo

JC Online
JC Online
Publicado em 31/07/2017 às 15:30
Foto: Guga Matos/JC Imagem
FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

O incêndio que atingiu um casarão na Rua da Glória, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife, nesse domingo (30), terminou tragicamente na morte de José Arimateia Bezerra Luiz e Verônica Marta Lídio da Silva. O casal, que estava junto há cerca de 10 anos, morava no imóvel onde funcionava uma pensão. A mãe de José, Márcia Maria Bezerra dos Santos, culpa o dono do casarão pela morte do filho e da nora e reclama da demora da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros no resgate.

Os corpos carbonizados das vítimas foram encontrados nesta segunda-feira (31). As chamas atingiram o casarão ainda na madrugada desse domingo (30). O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 0h30, três pessoas foram atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no local, mas não precisaram ser conduzidas para um hospital.

Dentro do prédio ainda estavam as duas vítimas fatais, as quais os corpos foram encontrados após um pedido de vistoria da família, feito hoje. "Meu filho está aí dentro minha nora está aí dentro. Eles não entraram porque o fogo estava muito alto. Eles não quiseram entrar", relatou a mãe de um dos mortos.

Informações repassadas pelo Corpo de Bombeiros à reportagem dão conta de que a corporação esteve no local, desde o primeiro acionamento, por 6 vezes. A Defesa Civil, acionada em seguida para avaliar as condições do prédio, passou o dia todo do domingo trabalhando no local.

Atuação

De acordo com o Secretário-executivo da Defesa Civil, Coronel Cassio Sinomar, o fogo estava muito alto e era preciso preservar a vida dos bombeiros. "É um combate difícil, de difícil acesso. A estrutura está toda danificada. Antes de tudo é preciso preservar a vida dos bombeiros que estão atuando e da equipe externa. Precisaria ser feito uma vistoria no local, aguardar. A defesa Civil não tinha conhecimento de que essas pessoas estavam lá dentro", contou.

As duas vítimas, segundo a mãe de José, tinham necessidades especiais e tomavam remédios controlados. "Eu acredito que eles estavam dormindo, por isso ela não acordou." Questionada sobre a responsabilidade do incêndio, Márcia é direta: "O responsável pela pensão. Que não está chegando. Ele só me disse ontem 'o que eu posso fazer?'".

o incêndio foi de maior proporção devido à grande quantidade de madeira no local.A construção tinha 15 cômodos e foi totalmente destruída pelo fogo. Segundo o Corpo de Bombeiros, apenas a fachada e as paredes laterais ficaram de pé. A Defesa Civil ainda interditou outrso três prédios vizinhos. O laudo estrutural será emitido em até 10 dias.

O corpo de Bombeiros ainda está atuando no casarão. De acordo com a assessoria da corporação, uma nota sobre a ocorrência será publicada assim que o trabalho for finalizado.

Foto: Guga Matos/JC Imagem
- Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
- Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
- Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
- Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
- Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
- Foto: Guga Matos/JC Imagem

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias