Patrimônio

Prédio na Rua do Imperador recuperado para ser escola de enfermagem

O imóvel, onde funcionou o Hotel Recife, foi recuperado pelo Real Hospital Português. É menos um imóvel abandonado na Rua do Imperador

Da Editoria Cidades
Da Editoria Cidades
Publicado em 03/10/2017 às 8:08
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
O imóvel, onde funcionou o Hotel Recife, foi recuperado pelo Real Hospital Português. É menos um imóvel abandonado na Rua do Imperador - FOTO: Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

O prédio do antigo Hotel Recife, construção do início do século 20 na Rua do Imperador, Centro da capital pernambucana, está quase pronto para receber a Escola de Enfermagem do Real Hospital Português (RHP). Por fora, a edificação mantém as fachadas ecléticas de origem, mas internamente há um novo imóvel, todo modernizado.

“Conseguimos autorização para a reforma interna e preservamos as fachadas”, afirma o arquiteto Waldecy Pinto, autor do projeto de restauração. O prédio, que tinha três pavimentos altos quando funcionava como hospedaria, será reaberto com cinco pisos (térreo mais quatro). “Derrubamos os três andares, deixamos o imóvel oco e fizemos tudo novo”, diz.

O pavimento térreo abrigará a recepção, uma sala de aula, a coordenação dos cursos, a sala de professores, um laboratório de radiologia, um laboratório de anatomia, o departamento pessoal e a subestação de energia. No primeiro piso funcionarão a área de lazer com lanchonete, um auditório, uma sala de computação e uma sala de aula, informa o arquiteto.

O segundo e o terceiro pavimentos serão ocupados com 12 salas de aula (seis em cada piso). E o quarto e último andar terá mais seis salas de aula e uma biblioteca. Com a mudança, o prédio da Rua do Imperador passa de 1.856,13 metros quadrados de área construída para 3.177,07 metros quadrados. A fachada continua pintada na cor ocre, porém num tom mais escuro.

“É uma cor alegre para o nosso clima tropical. A pintura anterior era clara porque usavam tinta à base de água, enquanto a tinta atual, à base de óleo, é mais escura”, explica o arquiteto. Iniciada em janeiro de 2016, com recursos do RHP, a obra está na fase final. “Falta concluir o tratamento acústico, para impedir que o barulho da rua chegue ao prédio.”

A Escola de Enfermagem deverá entrar em funcionamento em 2018, com a função de formar mão de obra especializada para atuar no RHP. Waldecy Pinto acrescenta que há uma comunicação entre o segundo pavimento da escola com o prédio do Gabinete Português de Leitura, instalado no imóvel vizinho. “Os alunos poderão consultar a biblioteca extraordinária do Gabinete, sem ir para a rua”, comenta.

CALÇADÃO

O Gabinete Português de Leitura e a futura Escola de Enfermagem ocupam um quarteirão da Rua do Imperador, entre as Ruas Siqueira Campos e Marquês do Recife, em Santo Antônio. “Só falta o calçadão ser recuperado para o pedestre circular melhor”, observa o arquiteto. A restauração do prédio do antigo Hotel Recife, diz ele, contribui com a revitalização daquele trecho do bairro.

Sem uso há mais de oito anos, o imóvel pertence ao Gabinete Português de Leitura, que fez um convênio com o RHP. A Escola de Enfermagem está delimitada pelas Ruas do Imperador, Marquês do Recife e Diário de Pernambuco.

Em julho de 2017, o auditor fiscal aposentado Cláudio Couceiro apresentou proposta para transformar a Rua do Imperador numa via exclusiva para pedestres. No momento, ele continua procurando possíveis interessados em levar adiante o Projeto Cidadão Imperador, com a recuperação de um prédio símbolo da rua. “A revitalização de um imóvel desse porte iria estimular outras ocupações. Há muitos prédios particulares abandonados na via”, destaca Cláudio Couceiro.

Últimas notícias