Tragédia na Tamarineira

Jovem e dois amigos beberam um litro de uísque horas antes do acidente

Depoimento dos colegas à polícia esclareceu detalhes do que aconteceu no dia da colisão que matou três pessoas e deixou outras duas gravemente feridas

Da editoria de Cidades
Da editoria de Cidades
Publicado em 01/12/2017 às 7:06
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Depoimento dos colegas à polícia esclareceu detalhes do que aconteceu no dia da colisão que matou três pessoas e deixou outras duas gravemente feridas - FOTO: Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

João Victor Ribeiro de Oliveira Leal e dois amigos teriam bebido um litro de uísque poucas horas antes do acidente provocado pelo jovem. Em depoimento prestado ontem na Delegacia de Polícia de Delitos de Trânsito, os dois colegas que acompanhavam o rapaz na farra disseram que os três saíram de Olinda, no último domingo à tarde, onde já estavam bebendo, e foram para uma festa no Autobar, no bairro de Santana, Zona Norte do Recife.

Lá, eles compraram dois combos de bebidas, cada um com direito a um litro de uísque, três red bulls e um saco de gelo. O grupo teria consumido, no período de uma hora, entre 18h e 19h, o litro de um dos combos. O acidente que matou três pessoas e feriu gravemente outras duas aconteceu meia hora depois, por volta das 19h30.

De acordo com o relato dos amigos, João Victor teria passado mal no Autobar e terminou indo para o carro. Os colegas tomaram a chave do veículo e voltaram para o bar. Quando foram ver como o jovem estava, ele suava muito e resolveram ligar o carro e o ar-condicionado e deixaram João Victor dormindo dentro do veículo. Os dois contaram que, ao voltar novamente para saber se João Victor havia melhorado, o carro já não estava mais no local.

EMBRIAGUEZ

Os três começaram a beber em Olinda, onde o rapaz mora, por volta de meio-dia. No fim da tarde, quando decidiram esticar a farra, ele foi em casa e pegou a chave do carro do pai, sem o consentimento dele. O Fusion dirigido por João Victor atravessou o sinal vermelho em alta velocidade na Tamarineira e colidiu com um Toyota RAV4, veículo em que o advogado Miguel Motta estava com a família e a babá.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias