EXÉRCITO

Exército destrói 1.141 armas de fogo entregues à Justiça em Pernambuco

As armas foram usadas como provas em processos judiciais, mas não terão mais usabilidade

JC Online
JC Online
Publicado em 19/12/2017 às 17:10
Foto: Divulgação/Exército Brasileiro
As armas foram usadas como provas em processos judiciais, mas não terão mais usabilidade - FOTO: Foto: Divulgação/Exército Brasileiro
Leitura:

Mais de mil armas de fogo foram destruídas na manhã desta terça-feira (19) pelo Comando da 7ª Região Militar. O armamento inutilizado já havia sido usado como provas em processos judiciais e, por determinação do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), não deveria mais ser mantido armazenado em fóruns do Estado. 

As pistolas e revólveres foram entregues pelo TJPE para serem amassados e derretidos no forno durante solenidade no 4º Batalhão de Polícia do Exército, no bairro do Curado, Zona Oeste do Recife. Além dessas 1.141 armas inutilizadas nesta ação, o Exército já destruiu outras 13.223 armas este ano.

O Comando Militar do Nordeste destacou que o objetivo da operação é atender ao acordo de cooperação técnica firmado, no dia 21 de novembro, entre o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Força Terrestre.

Operação Vulcão

A denominada "Operação Vulcão" acontece em todo o território nacional. Esta é a primeira medida tomada pelo Exército após a assinatura do Acordo do Estatuto do Desarmamento que utiliza as armas apreendidas para doação aos órgãos de segurança pública e às Forças Armadas. A ação militar será responsável pela doação e destruição, tanto de armas de fogo como de munições em 12 regiões militares em todo o País.

Últimas notícias