APEVISA

Farmácias são interditadas por irregularidades em São Lourenço da Mata

Os estabelecimentos funcionavam sem a autorização da Anvisa e foram denunciados por venda irregular de medicamentos. As farmácias são do mesmo dono

Julia Aguilera
Julia Aguilera
Publicado em 05/03/2018 às 17:08
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Os estabelecimentos funcionavam sem a autorização da Anvisa e foram denunciados por venda irregular de medicamentos. As farmácias são do mesmo dono - FOTO: Foto: Divulgação/Polícia Civil
Leitura:

Duas farmácias foram interditadas em São Lourenço da Mata, Região Metropolitana do Recife, durante uma fiscalização conjunta da Delegacia do Consumidor e a Vigilância Sanitária, nesta segunda-feira (5). Contra os estabelecimentos havia a denúncia de venda de medicação controlada sem autorização.

As duas farmácias pertencem ao mesmo proprietário e não possuem a autorização de funcionamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Na quinta-feira (28), uma delas foi interditada pelos mesmos órgãos, mas o dono retirou o lacre de interdição e voltou a vender medicamentos de forma irregular.

De acordo com o chefe do setor de medicamentos da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) Maryson Bezerra, as farmácias também foram denunciadas de não ter acompanhamento de farmacêuticos e de vender medicamentos do tipo antibiótico sem o controle receituário. Ele ainda alertou para os perigos da venda e do uso indiscriminado de medicamentos. "Estamos brigando com superbactérias resistentes por causa do uso não racional de medicamentos, isso é preocupante", comentou.

Os estabelecimentos têm o prazo de 30 dias para apresentar as notas fiscais dos produtos e regularizar a situação com os órgãos responsáveis, já que funcionavam apenas com o CNPJ.

O proprietário responderá pela subtração do lacre de interdição. Caso a documentação não seja apresentada ou não esteja regular, a Delegacia do Consumidor deverá investigar o caso.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias